Ah, o amor…

O que é preciso para se apaixonar por alguém? Você se encanta por aparência? Profissão? Estilo de música? Mas não é sobre beleza, inteligência ou gentileza. Então, como acontece? Como é que lidamos com o verdadeiro sentimento quando, simplesmente, chega?

Com os anos, aprendemos a ter encanto por virtudes e valores diferentes daqueles de antes. Admiramos certas qualidades, ajudamos nas fragilidades, damos valor à reciprocidade, à alteridade e à serenidade diante das diferenças. Queremos crescer junto. Queremos ver o outro bem e feliz, independentemente das escolhas dele. É capacidade de renúncia.

Amor também é decisão diária. Papa Francisco disse uma vez que “o verdadeiro amor leva a queimar a vida, mesmo com o risco de ficar com as mãos vazias”. Tem que haver doação. Tem que aprender a abrir mão de vez em quando. Às vezes tem que saber pedir desculpas, porque a conciliação torna-se mais importante do que “quem está certo hoje”.

É com Deus que a gente conversa, sobre expectativas e tempos de espera. É para Deus que se relata que o mais importante continua sendo nossa liberdade interior. Que vai ser mais fácil se você estiver ao lado de alguém que te olhe e realmente te veja. Que podemos, sim, manifestar todas as nossas demonstrações gratuitas de afeto, sem deixar ninguém preocupado com o tal jeito “romântico demais”. Queremos o conforto de ser quem a gente é.

Na oração pessoal, conversemos com Deus sobre nossos relacionamentos. Porque Ele é que sabe quais os nossos sonhos, as nossas necessidades, o que esperamos quando o assunto é cuidado e delicadeza. Ele é que sabe o que é melhor pra gente. Deus é que é Deus.

Isso dá uma baita tranquilidade, sabe? Porque, no fim, ninguém tem de lutar por um amor, entende? A gente percebe que não se trata de lutar, é o contrário. Amar é deixar. Deixar o outro livre para ser quem quiser ser. O amor é um sentimento simples. Deus é simples.

Deixe o amor chegar sem pressa. E se decidir ficar, que ele continue livre.

Marília Saveri – Jornalista, vocacionada da Comunidade Católica Shalom em São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *