O Senhor me alcançou com sua misericórdia e deu-me um novo sentido para ser feliz

Sabe quando você corre atrás da sua própria felicidade e quanto mais você a busca, mas você se encontra na solidão?

Meu nome é Robson de Oliveira Costa, tenho 27 anos e vou contar para vocês o que Deus me deu que nenhum ser humano foi capaz de oferecer: O seu amor. Eu sempre fiz parte da igreja Católica apostólica romana, porém participava contra a minha vontade. Não sabia do verdadeiro sentido da igreja, o porquê de acreditar nela e porque me entregar a um Deus que pra mim não sabia se realmente existia. Como o filho pródigo, depois de ocasionar propositalmente a minha expulsão da crisma quando pré adolescente, na primeira oportunidade que tive pedi a minha herança a Deus e fui conhecer o mundo. Participei de tribo punk e vivi uma das fases mais rebeldes da minha vida. Comecei a conhecer a bebida e diariamente buscava uma felicidade que me completasse em meio ao vazio do meu coração. Ainda não satisfeito, fui depositando a minha felicidade nas pessoas e me entregava em amizades e nos relacionamentos, o mundo sempre me presenteava com a decepção. Eu tinha em mente que a bebida era o maior motivo para minha felicidade e fora do efeito que ela tinha, também percebia que se tornava o grande motivo para a minha desilusão.

Se eu estava triste, bebia para me alegrar.

Se eu estivesse alegre, bebia para comemorar.

Se eu tinha problemas, bebia para esquecê-los.

Foi a partir dessas bebidas que eu comecei a me desconhecer como pessoa. Agia como não deveria, dava desgosto a minha mãe, e pra mim não importava o que as pessoas achavam, aquela era a minha maior diversão. Já que com os amigos, aquele refúgio saciava o meu coração. Depois de um tempo, comecei a passar por situações difíceis e cheguei até pedir a Deus de joelhos para me livrar de toda aflição. Comecei a perceber que eu estava vivendo uma felicidade passageira e comecei a pedir a Deus para me libertar daquela prisão. No ano de 2015 eu não sabia o verdadeiro sentido da quaresma, mas Deus deu o primeiro sinal de que me queria por perto na vida dele naquele momento. Durante uma noite, tive um pesadelo no qual eu me encontrava em uma estrada escura cercada de arames farpados e caminhava com um amigo em meio a escuridão. Quanto mais caminhava, mais eu ficava sozinho. De repente algo me segurava, tapava a minha boca e perfurava o meu coração. A dor que eu sentia não era só na alma, mas o meu corpo sentia o peso da solidão e do desespero naquele momento. Eu não tinha forças para acordar e nem para pedir ajuda, mas lembrei de minha avó assistia ao programa do Divino Pai Eterno e durante um desses programas o Padre chamava várias vezes o nome de Jesus. Comecei a chamar mentalmente e depois de três vezes, a minha boca relaxou e eu consegui acordar e depois de muito tempo sem conseguir rezar, essa foi a minha primeira oração. Um amigo do Shalom sempre me convidava para participar, eu achava bonito o sorriso daqueles jovens e me questionava o porquê deles serem tão felizes. Partilhei com ele sobre esse sonho e ele me aconselhou a me confessar e ir ao Shalom. No dia seguinte fui me confessar e o Padre me acolheu com um abraço e palavras tão confortantes, que naquele momento iniciei a busca da minha primeira tentativa conversão. À noite fui ao Shalom para esse amigo me aconselhar, logo depois da partilha ele me chamou para participar do grupo. Foi ali que durante a oração senti uma felicidade tão grande e na hora que uma das meninas veio orar em mim, Deus me dava uma primeira visualização: Eu caminhando em meio a escuridão e havia dois caminhos: Um estreito e outro largo. Comecei a caminhar pelo estreito e ele ia clareando, bem mais na frente eu visualizava Jesus me esperando de braços abertos e com um brilho intenso. Fui para casa feliz, mas ainda assim eu não sabia que seria fácil buscar a conversão!

Na confissão que eu tinha feito, o padre me apresentou a oração do São Miguel Arcanjo e a partir dali, comecei a luta diária contra aqueles que me afastavam de Deus e da bebida. Depois de um tempo, algumas pessoas começaram a me criticar, falavam que eu estava com frescuras depois da igreja e brigavam porque eu não queria sair para beber. Eu não me importava, mas quando batia a tristeza e a solidão comecei a recorrer novamente a bebida. Poucos meses depois, comecei a me afastar do Shalom, conheci pessoas que me afastaram da igreja e de Deus novamente. Eram brigas em casas, desgosto na faculdade e falta de sorrisos no meu dia a dia. Eu tinha aquela sede de buscar a igreja novamente e o Shalom, mas não tinha forças.

Quando foi no período de carnaval de 2016, passei por uma situação mais difícil ainda. Eu pedi de joelhos novamente uma mudança de vida a Deus, e ele me concedeu um livramento que eu sou eternamente grato até hoje. Pedi a ele em orações para ir para o retiro de carnaval, o Renascer, e confiei na providência da minha caminhada.  Comecei a frequentar o Shalom novamente, a igreja e me entreguei nas orações para conseguir dinheiro para ir para o Renascer. Todos me falavam da mudança de vida e como era bom, eu queria provar daquilo.

Próximo o período de inscrição do Renascer, eu não tinha nada. Eis que minha mãe tinha um dinheiro para ir para o salão, mas percebeu o meu interesse pelo evento e me deu o dinheiro. São José providenciou a minha ida para o Renascer! Na mesma semana a minha mãe ganhou o dobro do que havia me dado. Deus com certeza estava agradecendo a ela pelo que tinha feito por mim. Fui para o Renascer, lá tive uma experiência incrível com o amor de Deus. Ele me dizia tantas coisas maravilhosas, me fazia tantas libertações e lá eu tive a minha primeira experiência de vida com ele. Era uma felicidade que não tinha tamanho, ele me apresentava o amor, a felicidade e me dizia que estava de braços abertos para perdoar os meus pecados e tudo aquilo que eu havia vivido. Ainda com sua misericórdia, ele me dizia que não era pra eu me sentir indigno, que ele tinha algo grandioso para mim. Foram momentos incríveis nos quais ele me concedeu a graça de largar a bebida e os vícios e ainda me presenteou com uma felicidade e um amor que não tem tamanho. A cada vez que participo da santa missa e ouço falar do nome de Jesus. Me dá uma vontade tão grande de sorrir e uma felicidade que não me cabe no coração.  Hoje compreendo e sei a dor que ele sofreu na cruz para me salvar dos meus pecados e também sei o quanto ele me acolhe em seus braços caloroso sem me criticar, me julgar e disponível para me perdoar quando eu cair.

Espero que vocês também possam se permitir a participar de um evento como o Renascer e encontrem também o verdadeiro sentido da vida e da alegria com o amor de Deus.

Deus os abençoe,

SHALOM.

Obra de difusão Serrinha-Ba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *