Formação

10 dicas de Moysés Azevedo para uma vida de oração

“A amizade com Deus é o âmago da nossa vocação. Decidir-se pela amizade divina e crescer nesta amizade é o segredo da vida”

Uma das principais colunas que sustenta a Obra Shalom é a vida de oração. “A amizade com Deus é o âmago da nossa vocação. Decidir-se pela amizade divina e crescer nesta amizade é o segredo da vida”, diz o fundador da Comunidade, Moysés Azevedo, que partilhou outros pontos e segredos para aprofundar e mergulhar na vida diária de oração pessoal.

  1. Nada por obrigação: Um trato de amizade com Deus, é mais que praticar um ato de piedade, é ter uma relação esponsal, onde na oração pessoal, Jesus se une a mim, me ama e deixo-me amar. Tal sentimento procede do coração e não por obrigação e com tempo fixo, pois o motor da oração é o amor esponsal, fruto visível na vida oracional.
  2. Ter uma experiência com o Espirito Santo: Entrar na Pessoa do Filho, na Trindade e clamar pelo Espírito Santo, que se renova todos os dias, pelo dom da oração. Ele é fogo e fervor que devem estar presentes como uma decisão, independente dos sentimentos.
  3.  Tempo: Ter no mínimo duas horas diária de vida de oração. A primeira hora de intimidade pessoal e a segunda hora, mergulhar na palavra de Deus para afastar qualquer duvidas ou fantasias.
  4.  Rendição e libertação do coração: Coração, corpo e alma rendidos a Deus, não de forma artificial, mas com toda a verdade do meu ser, com tudo que sou e tenho. Entregar até mesmo os pecados, que durante a oração são revelados e cauterizados por Jesus, que não nos constrange, diante de nossa rendição. Basta submeter-se a Ele, e assim, a graça opera subconscientemente e nos desperta ao desejo de transformação e mudança de vida
  5.  Centralização: Derramar o nosso coração no coração de Deus, com uma vontade única, e assim, ter uma oração centralizada sobre o tudo de Deus, que nos amou mais a nos salvar que a nos criar. Ao criar não éramos resistentes, mas para nos salvar… resistimos muito. Escuta e discernimento na oração, levar decisões e não pressupor que já sabe de tudo. Deixe Ele falar!
  6.  Transfiguração e conversão: O fogo divino nos purifica na oração. Tudo que não se harmoniza ou que é resistente a Ele e seu amor, deve ser purificado. Este ato de amor da purificação nos ajuda e ensina a viver as dificuldades da vida.
  7.  Contemplação: Deixar-se olhar e amar por Deus. É pura graça, Ele nos dá e a alma recebe.
  8.  Sair de si: É um sair de si mesmo para Deus
  9. Intercessão: Trazer o outro para dentro da oração pessoal, como também a Igreja, a Comunidade, a humanidade, para que todos possam ser alcançados.
  10. Confiança: Quanto mais confiamos, mais se torna necessária a vida de oração, não consiste em muito pensar basta confiar, em vez de fugir. “Deus dá o seu Espírito aqueles que o obedecem”.

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Tenho duvida:
    1. Como entender em oração, o discernimento de Deus?
    2. Como saber diferenciar o discernimento de Deus para a vontade da carne?

  2. Shalom! Gostaria de saber como se faz esta oração de intimidade pessoal? É uma oração silenciosa? É uma oração espontânea, onde eu falo com Deus e espero Ele me responder?
    Quanto a lectio divina conheço um pouco.
    Eu que sou leigo, trabalho o dia todo, como arrumar estas duas horas?
    Como vive os consagrados de aliança e como fazem as suas orações pessoal.
    Obrigado e fiquem com Deus.