Formação

4 dicas para conhecer Jesus

Quando tomamos consciência que Ele é o primeiro que quer relacionar-se conosco, algo muda na nossa vida de oração

Para você que vai à Missa, está acostumado à recitação do Terço, ao Terço da Misericórdia, e que todo ano visita Nossa Senhora, mas sente que ainda falta conhecer a Jesus, aqui vão algumas dicas. A primeira coisa que precisamos para conhecer Jesus é um longo relacionamento com Ele. Digo “relação” porque é um aspecto importantíssimo do conhecer.

 “Acolher a Iniciativa Divina e querer de verdade relacionar-se com Ele”

Quando tomamos consciência que Ele é o primeiro que quer relacionar-se conosco, algo muda na nossa vida de oração e, por isso mesmo, devemos rezar com essa intenção, desejar durante o dia esta comunicação com Deus, conversar com Ele, preparar-se bem para a missa, confessar-se. Que as coisas de Deus sejam sagradas para você. Estes esforços serão enriquecidos com a Graça Divina, que veio primeiro, fazendo nosso coração inclinar-se para Ele. Agora, como um fruto que nasce da árvore de uma vida espiritual, poderemos começar. Deus não é mais um estranho, e sim alguém próximo. Às vezes, até mesmo uma devoção particular, talvez o padroeiro de nossa paróquia, nos ajude nesse momento.

 Ler as mensagens que estão no seu e-mail

Como assim? Muitas vezes, Jesus tentou comunicar-se conosco,mas nem sempre o entendemos ou não tivemos as condições, espaços, ou simplesmente estávamos fechados às suas mensagens. Por isso é importante fazer uma “revisão de vida”, olhar aquelas páginas difíceis da nossa vida e reconciliá-las a partir do Coração Misericordioso de Deus. Nem sempre isso é fácil, e leva algum tempo. Parece aquele monte de e-mails que você não leu, mas sabe que são importantes. A nossa consciência tem uma boa memória para isso. Basta perguntar-se: o que fiz de errado neste últimos tempos? O que Deus gostaria que eu mudasse na minha vida? Uma dica neste passo seria aprofundar-se em como fazer o “exame de consciência”. Posso dizer que é muito mais do que ver o errado; é também estar agradecido por todos os benefícios. Mas isso fica para outro dia.

 Estude!

Estudar o que? O Catecismo da Igreja Católica, as Sagradas Escrituras. Vá lá fazer aquele curso na sua Paróquia. Não tem outro jeito. Com certeza, podemos conhecer a Deus na nossa oração. Mas quem disse que Deus quer relacionar-se com você só dessa maneira? Será que não tem uma preguiçinha escondida por aí? Muitas vezes, queremos conselhos para saber o que fazer, mas nem sempre isso será possível. Muitas vezes, teremos nós mesmos que resolver situações difíceis, e rapidamente. Por isso, se não conheço o Cristo dos Evangelhos, o Cristo que deixou sua Igreja como atualização de sua mensagem para os desafios de hoje, ficaremos sempre na ignorância daquelas coisas que Jesus espera de nós. Uma pergunta básica: neste último mês de setembro, você estudou mais sobre a Bíblia? Acolher as diretrizes da Igreja é uma boa oportunidade para fazer este caminho. Uma passagem sugestiva do livro da Sabedoria é esta: “A Sabedoria é brilhante, sua beleza é imutável; facilmente é contemplada pelos que a amam e encontrada pelos que a buscam. Para dar-se a conhecer, antecipa-se aos que a desejam” (Sb 6,12-13).

 “Aplique o que você estuda”

No momento em que você começa a ter que manifestar sua Vida Cristã, começará a realmente precisar entender o “Bom Pastor”, a necessitar do “Pão da Vida”, precisará buscar a Deus como “Caminho”, “Verdade”, diante das dificuldades e até mesmo das pessoas, e encontrará “o Reconciliador”; quando perceber suas misérias e precisar de respostas para a sua vida, encontrará assim o “Salvador”, “o Deus Vivo”; quando não entender as dificuldades que aparecem na sua vida, começará a conhecer “o Jesus Crucificado”.

Por isso é que dizemos que a Vida Cristã é um caminho de discipulado. Os apóstolos receberam o chamado, mas somente ao acompanhar Jesus é que foram instruídos, e este processo continua até hoje na Sua Igreja. Por isso temos reuniões como o último “Sínodo dos Jovens”. Quero terminar lembrando Jo 15,14-16, uma das passagens mais belas dos evangelhos: “Vós sois meus amigos, se fazeis o que vos mando. Não vos chamo mais de servos, porque o servo não sabe o que faz seu patrão. Mas vos chamo de amigos, porque vos manifestei tudo o que ouvi de Meu Pai. Não fostes vós que Me escolhestes, mas fui Eu que vos escolhi e vos designei para irdes e produzirdes fruto, e para que vosso fruto permaneça, a fim de que tudo o que pedirdes a Meu Pai em Meu nome, Ele vos conceda. Isto vos mando: que vos ameis uns aos outros!”


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *