Pexels
Formação

5 perguntas mais frequentes sobre a Quaresma

Quem vive a Quaresma – e não apenas “passa” por ela – abre-se de uma forma única à grande alegria de celebrar a Ressurreição de Jesus.

A Quaresma, além de ser um convite à conversão, é um tempo de preparação para a Páscoa da Ressurreição. Quem vive a Quaresma – e não apenas “passa” por ela – abre-se de uma forma única à grande alegria de celebrar a Ressurreição de Jesus, garantia da ressurreição de todos os homens e mulheres.

1 – A Quaresma é um tempo de tristeza?

Não. A Quaresma é antes um tempo de recolhimento, de “deserto interior”, de um “voltar-se para dentro” (de si mesmo, da família, da comunidade). É encontrar e ter tempo para reavaliar a própria vida e a vida da comunidade, descobrindo o que há de errado e o que deve ser mudado para melhor.

2 – Somente o tempo da Quaresma é tempo de conversão?

Não! Todos os dias são propícios à conversão! O tempo da Quaresma é um tempo especial – e não exclusivo -, em que a Igreja convida os cristãos a fazerem um esforço concentrado para abrir-se a Deus e ao próximo, abandonando tudo o que é mal e acolhendo o que é bom e justo.

3 – O jejum é também uma forma de abrir o coração para o próximo?

Sim. Ao renunciar a bens desse mundo, nós entendemos que eles não são exclusivamente nossos, mas que devem ser partilhados com todos. O verdadeiro jejum é aquele que leva à conversão a Deus e ao próximo. Inclusive, ao sentir a falta que o alimento nos faz, por exemplo, nos sensibilizamos e nos solidarizamos com todos aqueles que, empobrecidos, vivem sem alimento digno durante todo o ano. Quem jejua, ao mesmo tempo em que desocupa o coração e o preenche de Deus, também o abre ao próximo, assistindo -o e promovendo-o.

4 – Dar esmola não é uma forma de humilhar aquele que a recebe?

Não. A esmola, sendo uma forma de partilha, não humilha nem diminui aquele que a recebe. Antes, o engrandece, porque o faz livrar-se de suas necessidades básicas – estas sim são sinais de humilhação, não para o empobrecido, mas para aquele que, por ganância, o levam à miséria. Ainda mais: a esmola parte do urgente – da emergência – mas deve chegar à caridade que liberta, com a participação, em todo o processo, da pessoa do empobrecido.

5 – O tempo da Quaresma é tempo de oração tanto pessoal como comunitária?

Sim. A oração pessoal é necessária; a oração comunitária é indispensável. Assim sendo, não podemos dispensar nem uma bem a outra. Ambas têm características que as individualizam, assim como ambas têm características que as unem. No centro das duas está a Missa, a “oração das orações”, em que o próprio Cristo reza em nós e por nós, oferecendo-se conosco ao Pai, no Espírito Santo.

Leia também

40 propósitos para a Quaresma

Nutricionista orienta jejum saudável

Normas básicas para o jejum da Quaresma

Zelar e cuidar do nosso corpo é uma forma de também amar a Deus


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *