Planejamento financeiro familiar
Formação

9 dicas para fazer um bom planejamento financeiro familiar

O ato de confiar na Providência de Deus não nos insenta de, como responsáveis e bons administradores daquilo que Deus nos dá, fazer sempre um bom planejamento financeiro familiar. Confira as dicas!

Nós cristãos somos chamados a viver a Economia do Reino e a confiar inteiramente na Providência Divina, porém o ato de confiar, estar abandonados nas mãos de Deus, não nos isenta de, como responsáveis e bons administradores daquilo que Deus nos dá, fazer um planejamento financeiro familiar e gerir as nossas finanças à luz do Evangelho e visando o bem do outro.

No desejo de viver a primazia de Deus, e sabendo que tudo vem do livre beneplácito divino, não esqueça que incluir a sua Comunhão de Bens no seu planejamento financeiro familiar!

Confira as dicas:

1 – Rezar!

Você já parou para rezar perguntando como Deus gostaria que você e sua família conduzam as finanças? É uma ótima forma de começar a criar o orçamento financeiro familiar para que seja incluso tudo aquilo que leve ao verdadeiro bem da família e excluindo aquilo que pode comprometer a boa administração dos bens.

2 – Anote todos os gastos familiares

Em muitos casos, o planejamento financeiro familiar fracassa pelo desconhecimento da verdadeira situação do orçamento. Sem uma visão real das finanças, é comum traçar metas inatingíveis e ignorar o impacto de determinados gastos. Por isso, antes mesmo de estabelecer metas de economia, é importante catalogar todas as despesas da família.

Procure uma ferramenta com a qual você se sinta à vontade. É possível começar usando um simples caderninho de anotações e adotar ferramentas com mais recursos quando o controle ocorrer com mais naturalidade. Priorize a praticidade, evitando o risco de desanimar e deixar de lado o planejamento.

Durante um certo tempo, tome nota de todas as despesas de cada membro da família. Procure ser o mais cuidadoso possível, priorizando a Comunhão de bens (Comunidade e Obra Shalom) ou dízimo, prestando atenção aos mínimos detalhes, como o tradicional cafezinho após o almoço.

O ideal é completar um ciclo de, pelo menos, um mês, podendo prorrogá-lo a fim de diminuir a influência de imprevistos ocorridos no período.

Com as informações em mãos, é o momento de catalogar os gastos. Certamente, você vai se surpreender com o impacto que certas despesas, aparentemente irrisórias, podem causar em seu orçamento. Veja o que pode ser cortado ou reduzido e procure meios de tornar mais econômicos os hábitos que julgar indispensáveis para a manutenção da qualidade de vida. 

3 – Trace metas

Antes de tudo, lembre-se: estamos falando de um planejamento financeiro familiar, por isso, é indispensável a participação de todos. Crie um ambiente propício (prepare um lanche, por exemplo), e reúna toda a família para conversar sobre os projetos futuros. 

É importante que todos se sintam motivados a participar. Economizar meramente para juntar dinheiro não é tão animador, portanto, é um bom momento para compartilhar sonhos e estipular metas para realizá-los.

Procure traçar metas de gastos para cada categoria de despesa. O processo de coleta realizado anteriormente será de grande valia para estabelecer limites realistas. Leve em conta que apertos excessivos podem desestimular o engajamento dos membros da família.

4 – Mapeie Os Objetivos Familiares

Eles devem ser divididos entre curto, médio e longo prazos. Objetivos considerados de curto prazo são aqueles com menos de 6 meses, como o pagamento de dívidas.

Objetivos de médio e longo prazos são todos os que excedem os 12 meses. Por exemplo, planejar suas férias, economizar para a faculdade dos seus filhos ou pagar a reforma da casa. 

5 – Procure renegociar as dívidas

Um item importante para que o planejamento financeiro familiar tenha mais fôlego é a renegociação das dívidas. Os valores destinados às parcelas apertam o orçamento, e é preciso encarar a realidade para reverter a situação. Procure apurar o valor de cada dívida e reserve uma fatia do orçamento para colocar a casa em ordem.

6 – Cuidado com o consumismo

As compras por impulso podem ser consideradas as grandes vilãs do orçamento. Por isso, é muito importante se planejar com antecedência também para comprar. Programe-se para comprar à vista sempre que possível. Assim, você pode negociar bons descontos e, de quebra, eliminar o surgimento de uma parcela a mais para pagar nos meses seguintes.

Planejando antecipadamente, é mais fácil colocar em prática o consumo consciente e não comprar além do necessário. Se a compra for parcelada, não esqueça de se certificar de que o valor das parcelas cabe no orçamento.

O parcelamento da fatura do cartão, por sua vez, deve ser evitado o máximo possível. Isso porque a maioria dos cartões de créditos apresentam taxas altíssimas para esse serviço.

7 – Não gastar mais do que deve

As pessoas se acostumam muito facilmente com as coisas. Quando a máquina financeira da família estiver bem ajustada, sempre virá aquela vontade de gastar mais do que deve. Essa é a hora de frear o ímpeto e manter o seu padrão de vida. 

8 – Pratique a educação financeira e a Economia do Reino

Não adianta proibir toda família de gastar dinheiro de forma radical sem mostrar a razão pela qual se faz isso, nem estabelecer metas que não sejam realistas ou causem impactos sérios no padrão de vida familiar e também na vivência radical do evangelho. Então, comece a ensinar educação financeira e como se vive a Economia do Reino à sua família de forma gradativa, mostrando como a economia de hoje pode gerar grandes frutos com o passar do tempo.

Como Administrar os bens segundo a lógica do Evangelho

9 – Revise o planejamento

Por mais perfeito que um planejamento financeiro familiar seja, ele precisa de manutenção. Os objetivos mudam, as rendas mudam e coisas que você nem imaginava podem estar minando os seus esforços. Então, analise o desempenho das suas finanças todos os meses e se houverem sinais de algum problema,não hesite em parar e organizar tudo de novo. Com certeza isso dá trabalho, mas todo o seu esforço certamente será recompensado!

[Dica Bônus]

Você já pensou em inserir no seu orçamento uma doação mensal ou anual à alguma instituição de caridade, projetos sociais da Igreja ou contribuir com a evangelização da humanidade? Você também pode ser um canal da Divina Providência para muitos que precisam!

Quero ser um Benfeitor da Paz

O Benfeitor da Paz é um  canal da Providência. Um missionário em sua própria casa. É aquele que acredita na ação missionária da Comunidade Católica Shalom e através da sua doação, evangeliza e nos ajuda a manter esta obra de Deus.

Clique e faça sua partilha

CARTÃO DE CRÉDITO | CARTÃO DE DÉBITO | DÉBITO EM CONTA | BOLETO BANCÁRIO

Quem ajuda uma obra de evangelização tem méritos de evangelizador. Essa é a experiência que muitos homens e mulheres no mundo inteiro vivem ao contribuir com a missão da Comunidade Católica Shalom.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *