Formação

A Família Shalom

“Somos uma família. Celibatários, casais, sacerdotes, pessoas em processo de definição de estado de vida, homens e mulheres, jovens e adultos. Uma só família de irmãos e irmãs, todos em iguais condições, cujo vínculo não se constitui em um único estado de vida, mas no chamado comum a, juntos, consagrarem suas vidas e seus estados de vida a Jesus Cristo, na pobreza, na obediência e na castidade, por meio da vida de oração profunda, no exercício do amor fraterno; e no serviço na obra confiada à Comunidade para a edificação da Igreja e transformação do mundo” (Estatutos da Comunidade Católica Shalom, 5)

Deus, na sua sabedoria e nos seus magníficos desígnios, sempre está vivificando e renovando a Igreja com novos chamados, novas formas de viver o mesmo Evangelho do Nosso Senhor Jesus Cristo, de acordo com os tempos e desafios de cada momento da história, assumindo assim estes mesmos desafios e dando a sua resposta para cada um deles. Dessa forma também se revela a riqueza e a profundidade do Evangelho e do coração de Deus.

Assim, durante toda a história da Igreja, podemos constatar essa realidade e louvar a Deus, que, em sua infinita misericórdia, sempre impulsionou homens e mulheres dispostos a empreender toda a sua vida em favor da Igreja e da humanidade.

São Francisco de Assis e os Frades Menores, Santa Teresa e o Carmelo Reformado, São Domingos e a Ordem dos Pregadores, Santo Inácio e os Jesuítas, Dom Bosco e os Salesianos e muitos outros que, no decorrer dos tempos, Deus suscitou no interior da Igreja, cada um com seu carisma próprio, com um chamado particular para fazer com que a missão que Jesus deu à sua Igreja permanecesse sempre atual e respondesse aos apelos dos homens de cada época.

“Ao logo dos séculos nunca faltaram homens e mulheres que, dóceis ao apelo do Pai e à moção do Espírito, escolheram este caminho de especial seguimento de Cristo, para se dedicarem a Ele de coração “indiviso” (cf. 1Cor 7,34). Também eles deixaram tudo, como os apóstolos, para estar com Cristo e colocar-se, como Ele, a serviço de Deus e dos irmãos. Contribuíram assim para manifestar o mistério e a missão da Igreja, graças aos múltiplos carismas de vida espiritual e apostólica que o Espírito Santo lhes distribuía, e, deste modo, concorreram também para renovar a sociedade.” (Exortação Apostólica Vita Consecrata, 1).

Se olharmos para os tempos modernos, veremos que esta realidade é bem presente. O Espírito Santo, que sempre conduz a Igreja de Cristo à perfeição, continua a operar no meio de nós com a criatividade que lhe é própria, continuando a fazer surgir novos carismas para tempos como os que hoje estamos vivendo. Como afirma o Papa João Paulo II: “O Espírito que, ao longo dos tempos, suscitou numerosas formas de vida consagrada, não cessa de assistir a Igreja, quer alimentando nos institutos já existentes o esforço da renovação na fidelidade ao carisma original, quer distribuindo novos carismas a homens e mulheres do nosso tempo, para que deem vida às instituições adequadas aos desafios de hoje. Sinal desta intervenção divina são as chamadas ‘Novas Fundações’, com características de algum modo originais relativamente às tradicionais. A originalidade destas novas comunidades consiste freqüentemente no fato de se tratar de grupos compostos de homens e mulheres, de clérigos e leigos, de casados e solteiros, que seguem um estilo particular de vida, inspirado às vezes numa ou noutra forma tradicional ou adaptado às exigências da sociedade atual. Também o seu compromisso de vida evangélica se exprime em formas diversas, manifestando-se, como tendência geral, uma intensa aspiração à vida comunitária, à pobreza e à oração. No governo, participam clérigos e leigos, segundo as respectivas competências, e o fim apostólico vai ao encontro das solicitações da nova evangelização.” (Vita Consecrata, 62).

Podemos assim, utilizando uma imagem cara ao nosso Fundador, comparar a Igreja a um imenso jardim, com flores e rosas de cores e perfumes distintos, mas plantadas na mesma terra, que alimenta e dá vida a cada uma delas. Essa terra seria a Igreja, que, fundamentada na única fé em Jesus Cristo vivo, que nos revela o Pai na unidade do Espírito Santo, está ornada das mais variadas vocações, suscitadas por esse mesmo Espírito, e sustentadas pela fé da Igreja e pela vida dos sacramentos.

É nesse contexto que compreendemos a Comunidade Católica Shalom. Uma magnífica vocação, que, desde toda a eternidade, estava no coração do Pai, e que agora se manifesta ao mundo para o bem da Santa Mãe Igreja e de todos os homens. A nossa missão é a de sermos discípulos e ministros da Paz. “Em um mundo marcado pelo pecado, que errou bastante acerca do conhecimento de Deus, onde reinam tantos males… o Senhor nos chama a sermos anunciadores da sua Paz, a vivermos e proclamarmos a sua Paz. A levarmos com a nossa vida, com a nossa palavra, e com o nosso testemunho, o Shalom de Deus aos corações; a sermos instrumentos de reconciliação do mundo com Deus; a anunciarmos com todo nosso coração, com todas as nossas forças a salvação de Jesus Cristo e o seu Evangelho” (RVSh, 359).

Para correspondermos à missão confiada por Deus a nós, o Senhor nos constituiu comunidade e nos deu uma maneira própria de viver, um caminho de contemplação, unidade e evangelização que deve ser assumido por cada um de nós e por todos os que foram chamados a esta magnífica vocação.

A nossa missão vai sendo cumprida na medida em que cada pessoa criada e redimida para encarnar esta forma de viver dá livremente a sua resposta de amor a Deus. É nessa resposta que está a plena felicidade de cada eleito. Quando Deus cria alguém, Ele já o cria para aquela vocação, e a pessoa chamada só será plenamente feliz abraçando aquilo a que o Senhor a chama. Os planos de Deus são sempre a nossa felicidade.

A fidelidade de Deus tem se manifestado a cada dia na nossa história, fazendo-nos exclamar a cada manhã: “Obrigado, Senhor, por nos haveres escolhido pela Tua imensa misericórdia!”.

E você, já pensou na sua vocação? Não será este o seu chamado? Não será você também um escolhido de Deus para Ser Shalom na Igreja? Pense nisso. A humanidade precisa do seu “sim”.

 

Formação: Setembro/2009


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *