Formação

Adota-se uma alma!

Quando se adota em meio as campanhas, os cachorrinhos fofos e maltratados, gatinhos abandonados e até copos descartáveis, a tendência é escolher o mais bonitinho, sentir uma empatia, um olhar carente de “me leva” ou uma lambida especial, não é verdade? Outros com muita coragem adotam uma criança de verdade no seio da família, acolhendo-o amorosamente como filhos do coração. Mas, se somos capazes de tais gestos generosos, por que não adotar uma alma? Sim, isso mesmo, uma alma, que por meio de nossas orações e súplicas ela possa alcançar o céu?

Sabe aquele garoto da esquina que você tem medo, pois ele parece violento, o assaltante que você  nem sabe o nome, mas o viu em um dos programas policial da TV? A senhora aborrecida que te persegue no emprego, o pai de família seu vizinho, que costuma chegar embriagado em casa, a menina de sua escola que sofre de depressão, o seu professor esquisito que é indiferente aos alunos ou o irmão que não fala contigo há anos?…, “levai as almas todas para o Céu, e socorrei principalmente aquelas que mais precisarem”.

Nestes últimos dias, o mundo voltou os olhos para a cidade de Fátima em Portugal, para as comemorações do Centenário das aparições, onde milhões de fiéis rezaram e contemplaram o terço com o Papa Francisco, lotando a praça principal da cidade, fazendo ressoar como um coro divino a jaculatória em que suplicavam do alto, o socorro a todas as almas necessitadas. “Ó meu Jesus, perdoai-nos, livrai-nos do fogo do inferno, levai as almas todas para o Céu, e socorrei principalmente aquelas que mais precisarem”. Esta oração foi ensinada por Nossa Senhora de Fátima em 1917, aos três pastorinhos,em uma de suas aparições e que ainda hoje acrescentamos na recitação do Rosário.

Enfim, são centenas de almas ao nosso redor, que precisam urgentemente serem adotadas por mim e por você e colocadas diariamente anonimamente em nossas preces, não de forma generalizada mas especifica. Não precisamos ir muito longe, pagar taxas ou achar uma placa: Adota-se alma! Basta sair um pouco de si, acreditar no salmo 33, “este infeliz gritou a Deus e foi ouvido” e interceder.

Santa Teresinha do Menino Jesus, aos 14 anos, de fato, adotou a primeira alma ao ler no jornal, a história do assassino Henrique Pranzini, que havia estrangulado a sangue frio três pessoas. A notícia repercutiu por toda a França, pois o homem mesmo preso, não dava nenhum sinal de arrependimento. Porém, quando Pranzini foi condenado à morte, a santa se pôs a luta para livrá-lo da eterna condenação: rezou, fez sacrifícios e mandou celebrar uma Missa, nessa intenção.  “Pedi a Jesus apenas ‘um sinal’ de arrependimento, simplesmente para minha consolação”, diz Teresinha em seus escritos.

No dia seguinte ao da execução, ela leu no jornal “La Croix” a descrição detalhada dos derradeiros minutos de vida do criminoso:

“Às cinco horas menos dois minutos, enquanto os pássaros silvam nas árvores da praça e um murmúrio confuso se ergue da multidão (…) abre-se a porta da prisão e assoma pálido o assassino. O capelão, Pe. Faure, põe-se à sua frente, ele repele o padre e os carrascos. Ei-lo diante da guilhotina para onde o carrasco Deibler o empurra. Um ajudante, colocado do outro lado, agarra-lhe a cabeça, para mantê-la presa pelo cabelo embaixo da lâmina prestes a cair. Antes, porém, talvez um relâmpago de arrependimento tenha atravessado a consciência do criminoso. Pranzini pediu ao capelão o crucifixo e beijou-o duas vezes. Depois, o cutelo caiu, e quando um dos ajudantes agarrou pelas orelhas a cabeça cortada, concluímos que, se a justiça humana estava satisfeita, talvez este derradeiro ósculo tenha satisfeito também a Justiça Divina, a qual pede, sobretudo, o arrependimento”.

Adotar uma alma é sobrenatural, é de alma para alma, quem sabe no seu processo de conversão você humildemente não foi adotado por alguém? Adote uma alma!

Angela Barroso


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *