AFP or licensors
Mundo

Bispos pedem fim da violência na Nicarágua

No início dos atos repressivos, a Igreja organizou um caminhada em vista da paz.

Estudantes, jornalistas e até religiosos foram agredidos por forças paramilitares na Nicarágua, na América Central. O país passa por uma forte crise política que tem mudado a vida da população. O Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (CENIDH) tem proposto ações conciliadores para proteger as pessoas vítimas de ataques. No entanto, a situação segue crítica desde abril deste ano.

“Não é desta forma que a paz é construída”, advertiu o cardeal nicaraguense Leopoldo Brenes. Os bispos da Igreja Católica local alertaram aos moradores de várias cidades para se protegerem e pediram o fim da violência no país. No início dos atos repressivos, a Igreja organizou uma caminhada em vista da paz. No entanto, desde 18 de abril, mais de 200 pessoas já morreram.

Os manifestantes que são contra o Governo vigente querem a antecipação das eleições no país. No entanto, Daniel Ortega, atual presidente, descartou o pedido. O clima é de tensão entre os nicaraguenses, pois forças paramilitares invadem locais em que suspeitos de serem contrários ao chefe do Estado se reúnem. Nessas ações, pessoas inocentes acabam sofrendo ataques violentos.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *