Institucional

Ainda acredito no dom da amizade

Ainda acredito nas almas nobres que não desaprenderam a linguagem da reciprocidade. Que exercem com coragem a dádiva da permanência. Que experimentam constantemente da satisfação que é se decidir pelo outro, com todos as decepções e a pesares inclusos.

Ainda acredito em amizade não sazonal; que não vai embora junto com a ocasião conveniente que a fizera nascer; nem se enruga com as feiúras de cada um. Dom-amizade

Ainda acredito em pessoas que não se contentam com relacionamentos rasos e superficiais, só para preencherem as lacunas que se abrem no coração quando a carência faz birra, ou o silêncio dos dias entediantes com palavras que não dizem nada. Não. Ainda acredito nos sensíveis que não aceitam ausências vestidas de falta de tempo, quando na verdade, tudo o que realmente há é falta de interesse; falta de estar.

Gostoso mesmo é da gente poder entrar no coração do outro sem tirar os chinelos. É poder entrar e despir nossa alma das vestes que escondem nossas sombras sem medo de sermos julgados. É ter o cheiro da vida do outro em mim, e vice-versa. É ter alguém pra cuidar do nosso coração quando ele adoece… Gostoso mesmo, é ter amigos com quem se reinventar, quando a vida quer que a gente cresça.

Por Richard de Assis

← Voltar para Shalom Brasília


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *