Castidade: meu amigo Téo

O Livro

O livro "Castidade: meu amigo Téo" conta a história de um cara cheio de vida, aberto, comunicativo, caridoso, cheio de valores, altruísta, levava a sério sua vida, sua família, faculdade, namoro, amizades... Existia um fluxo na vida dele que sempre o levava para a abundância na vivência do amor. Era conhecido e respeitado, e ainda considerado como um jovem casto. Vamos – à luz da belíssima parábola do Filho Pródigo – percorrer o caminho de retorno para a intimidade própria da casa paterna, que simboliza o retorno para Deus. Tendo como “pano de fundo” essa passagem bíblica, quero apresentar a “história” do meu grande amigo Teófilo (Téo). Através de um maravilhoso e rico itinerário vamos descobrir o significado do seu nome e a grande alegria que ele pôde provar ao voltar para sua casa, para si mesmo e para Deus. Pessoal, parece inacreditável, mas um dia – vocês vão já saber o porquê – houve uma interrupção desse movimento na vida do Téo e tudo começou a dar errado. As consequências foram terríveis e avassaladoras na vida dele: só abundância de pecado, que o levou – e não é exagero não! – ao fundo do poço. Calma! Não se desespere porque se de um lado abundou o erro, do outro superabundou o Amor misericordioso de um pai que nunca deixou de o ser e jamais desistiu do seu Téo. Esta certeza levou o meu amigo a – mesmo com muita luta interior – decidir voltar e reencontrar o caminho da abundância de Amor. Nosso itinerário será como o daquele jovem que “entra em si mesmo” para se dar conta de que se encontra distante de casa, distante da sua origem, distante da própria verdade e, portanto, muito distante de si mesmo.


Vídeos


Leia Mais

UMA CARTA DE TÉO PARA VOCÊ

De: Teo

Para: Você


Oi!

Espero que vocês tenham curtido minha história e principalmente o lance final que foi decisivo na minha vida. Desejo, sobretudo que você tenha sacado que fomos criados para viver o amor na sua forma plena.

Quando saí de casa e deixei o que era certeza e segurança eu pensei que sozinho, e da minha maneira e a do mundo, eu poderia realmente acrescentar mais e mais ao que já era belo, verdadeiro, pleno, e quando vi que deixei a abundância por aquilo que se esvai eu fui me perdendo cada vez mais.

Como foram importantes duas presenças contínuas na minha vida: uma no coração, que era meu pai, e a outra a do meu grande amigo com sua fidelidade contínua na minha vida e que nunca desistia.

Mesmo quando sentia que tudo ia mal e a solidão me invadia sentia que poderia recomeçar. Foram essas presenças e outras que mantinham em mim uma centelha de esperança, mesmo que fraca... Saio dessa com a certeza de que nunca devemos nos desesperar e nem desistir, pois sempre haverá uma possibilidade de uma vida nova.

Será sempre assim na nossa história, porque Deus sempre nos apresentará o caminho de retorno para Ele e para a abundância da Sua graça. Suas promessas são irrevogáveis e – respeitando nossa liberdade – Ele sempre nos dará uma nova chance.

Descobri que a castidade nos recompõe e nos reconduz a inteireza e ao mesmo tempo a unidade do ser, como também a maior de nossas capacidades que é amar. Hoje voltei a amar e assim me sinto feliz.

Posso te assegurar que o que mais pode nos tornar semelhantes não é o simples fato de ter tido experiências parecidas com as minhas e assim feridas iguais e até piores que as minhas, mas o fato de que você também é um “Teófilo”, você é amado por Deus e chamado as ser Seu amigo. Isso pode tornar nossa história comum!

Aconselho-te a nunca desistir da castidade, mesmo que isso implique muita luta, vale a pena cada esforço, recomeço e perseverança... Só não adie para amanhã, não! Quanto antes tomar esta decisão, melhor!

Conte com a graça do Pai celeste que nunca te abandona, com esse conselho amigo e com todos os meios a disposição! Aproveita! Te garanto que dessa forma dá certo e é possível viver a castidade! Deus quer, Ele te dá os meios e você pode ser casto.

Gostaria que você curtisse isso e compartilhasse com a galera!

Valeu!

Téo.


Castidade: Um caminho feliz

Pessoal!

Quando aprofundamos este grande dom nós notamos que este não significa uma constelação de “nãos” como nos garante a história do meu amigo Téo, mas é antes e, sobretudo um “sim” ao amor verdadeiro, como você pode curtir lá no livro. Este dom apresenta-se também a nós como um caminho diário como foi para a vida dos santos. Quando se trata dessa realidade me vem logo em mente a luta de santo Agostinho que era escravo das impurezas, depois foi sanado de toda doença, em seguida passou por um período onde não era ainda tão firme e até que, pela graça e perseverança entrou e permaneceu neste caminho até o fim.

Uma vez tendo colocados os pés neste caminho o importante é não desistir porque mesmo que caminhes lentamente chegarás à meta de uma vida que é um sim ao amor verdadeiro numa relação profunda com Deus e de todas as coisas boas e belas que são dignas de ser amadas como você pode também curtir no capítulo sobre são Francisco e santa Clara. Um caminho! Um caminho interior porque é preciso partir do coração que precisa ser sanado porque é desta sede que sai tudo aquilo que pode contaminar a vida de uma pessoa. A impureza que se encontra fora é um reflexo daquela que se encontra dentro do homem, dentro do seu coração.

Do coração purificado é que brota também pensamentos puros, atitudes castas, uma vida verdadeira e feliz, pois a pessoa casta aprende a perceber aquilo que é belo, verdadeiro e digno de ser amado. A castidade então não consiste numa negatividade, mas numa resposta positiva a Deus e as criaturas.

A questão é que para dizer sim é preciso entra na vibe divina e conhecer o que de fato significa amar. Deus é amor e isso significa que nós somos amados, que a nossa essência é viver o amor com suas medidas de totalidade e plenitude. Se pode até comparar a castidade como uma vida no Espírito e desta forma é graça, fruto do Espírito Santo e fruto também dos esforços. Existe uma conexão muito forte entre o Espírito Santo e a castidade. O Espírito Santo expulsa dos nossos corações todo tipo de impureza e nos colaca no caminho da pureza.

Estamos diante de um caminho que nos leva para o alto, para Deus e para os outros e isso só é possível por meio de um caminho de abertura, também de acolhimento da graça e doar-se inteiramente. Sabemos de toda exigência desse caminho, pois não é um caminho de facilidade, mas, é um caminho de felicidade. Frequentemente se confunde felicidade com facilidade e por isso que muitos abandonam esse caminho quando se depara com as suas exigências próprias.

Castidade é um estilo de vida que diz respeito à pessoa na sua totalidade e não apenas uma dimensão dela. Neste percurso a pessoa descobre o segredo para boas relações, pois tudo na sua vida vai sendo ordenado para o amor e um amor ordenado.

Esse caminho é divino e Ele nos dá todos os meios para viver este chamado. Por isso levanta a cabeça, corações ao alto e pés neste caminho que vai dar certo! Quem parou recomece, quem caiu se levante, quem se desanimou vamos recorar o ânimo.

#Vamosnessa!


Sobre o Autor

Padre Rômulo dos Anjos, autor do livro Quero ser amigo de Deus, apresentador do Programa Reza Comigo(NordesTV), nascido em 16/07/1980, é formado em Filosofia e Teologia pela Facoltà di Teologia di Lugano, Há quase dez anos é responsável pelo Discipulado da Comunidade de Vida Shalom no Eusébio, Ceará. Nestes anos tem acompanhado centenas de jovens que estão dispostos a viver a bela experiência espiritual da castidade e do Celibato Formativo.