Formação

Como superar meu medo de amar

O medo de amar pode ter muitas raízes, mas quase sempre é resultado de uma experiência negativa nos relacionamentos.

Muita gente vive um passado sombrio na sua área afetiva. Foram feridos por amores de mentirinha, que apareceram como se verdadeiros fossem e se fecharam para a vida com medo de novas decepções. As feridas de amores mal resolvidos realmente custam a sarar, mas ninguém consegue a realização na sua afetividade enquanto não encara seu passado de dor como uma oportunidade de amadurecimento.

Ninguém está isento de sofrer quando se decide a amar alguém. Alias, custa muito amar da maneira correta. As caricaturas de amor vistas por aí até podem sobreviver por um tempo, mas só o verdadeiro amor resiste ao calor das tensões, pois entende as fragilidades da pessoa amada e, mesmo assim, não desiste do ideal de amá-la.

O medo de amar pode ter muitas raízes, mas quase sempre é resultado de uma experiência negativa nos relacionamentos. Há quem se dedique com todas as suas forças para amar e fazer alguém feliz, e, mesmo assim, experimenta o peso da traição, ou seja, não recebe em troca o mesmo amor que doou para a outra pessoa. Depois da experiência negativa, a pessoa pode concluir que não vale a pena sofrer e se fecha para novos relacionamentos.

Precisamos entender que a vida não é estática. Cada dia é um presente novo que recebemos das mãos do Criador. Problemas passados não podem servir de empecilho para realizações futuras. Aliás, o sábio sempre cresce diante da dor, pois entende que seu projeto existencial não pode ser enterrado quando aparece a primeira dificuldade, já que viver é enfrentar os obstáculos de cabeça erguida, com a certeza da realização.

Se um relacionamento passado não deu certo, não significa dizer que os próximos também não darão. Cada pessoa é um mundo a ser descoberto, e Deus sempre é criativo quando se trata de colocar pessoas ao nosso redor. Esqueçamos ou ignoremos o que passou, pois só assim o novo ganhará importância em nosso coração e abrirá nossa visão para todas as oportunidades de amor verdadeiro que estão ao nosso alcance.

Quem compreende que amar é fazer o outro feliz, já começa em vantagem nesta grande empreitada. Diferente do que muitos dizem, não é proveitoso para ninguém viver só, já que a solidão é a principal amiga da infelicidade. Quem quer construir relacionamentos sadios e satisfatórios precisa cultivar o amor em tudo o que faz, pois estará plantando sementes em terrenos férteis, cujos frutos iluminam os olhos e alegram o coração.

Volte a acreditar no amor. Por vezes, parece muito mais vantagem fechar-se em nosso mundinho, aposentar o coração, jogar fora a chave dos relacionamentos. Mas a verdade é que ninguém consegue ser feliz sozinho. Enquanto teimamos na busca de pessoas perfeitas para só então nos relacionarmos, o mundo vai ficando mais pobre de pessoas que andam de braços dados e lutam pelo mesmo ideal: fazer o outro feliz.

Fonte: Destrave


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *