Institucional

Dom Rino Fisichella visita Projeto Volta Israel

No final da tarde deste sábado, 28, Dom Rino Fisichella, presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização esteve no Projeto Volta Israel acompanhado do fundador da Comunidade Católica Shalom, Moysés Azevedo, e do missionário da Comunidade Shalom responsável pela missão de Fortaleza, Padre Silvio Scopel. O Projeto Volta Israel atua no combate ao uso abusivo de drogas através da evangelização, prevenção e tratamento da dependência química.

Madalena Aguiar, missionária responsável pela Promoção Humana da missão de Fortaleza, apresentou o Projeto a Dom Rino e contou sua experiência de poder contemplar às vidas transformadas que passaram por aquele lugar. Logo em seguida, 2 jovens deram seus testemunhos aos presentes.

Um deles foi Mateus, de 21 anos, que há pouco mais de um ano deixou a casa. “Aqui aprendi a ser homem, o valor humano. Aprendi a ter paciência. Aqui eu pude morrer muitas vezes, mas pude ressuscitar várias vezes. Aqui é o lugar onde me sinto mais seguro. Aqui aprendi a ser um jovem feliz. Essa casa me ensinou a ser feliz, a me amar e amar os outros. Percebi que não é normal um jovem se envolver com drogas, mas é normal quando um jovem entrega sua vida inteiramente a Deus”.  

Mateus, atualmente, é um dos núcleos responsáveis pelo Projeto Juventude para Jesus.

Após os testemunhos, Dom Rino partilhou sua alegria de visitar a Comunidade Shalom e conhecer o Projeto:

“A face do Mateus atesta que ele é verdadeiramente feliz. Eu sou um bispo que estou junto ao Papa Francisco, e ele me deu a responsabilidade pela evangelização. É justamente por esse motivo que sou muito amigo do Moysés. O Moysés, com o Shalom, com todos os missionários, com os sacerdotes, famílias, seminaristas, com a Emmir, todos aqueles que, no carisma Shalom, vivem esta bela aventura da evangelização, são uma coluna fundamental da Nova Evangelização.  Durante o Jubileu da Misericórdia, sempre uma sexta-feira por mês, o Santo Padre realizava a “Sexta da Misericórdia”, na qual ele fazia um ato concreto de misericórdia. Um dos atos que ele fez, ao longo do ano, foi visitar uma casa de tratamento como a vossa. E o Papa Francisco encontrou amigos como vocês, os escutou como eu estou escutando e, ao final, lhes dirigiu uma palavra. E, no final de tudo, ainda comeram uma pizza. E desejo, também eu, vos dirigir uma palavra. Uma palavra que contenha uma mensagem. E a primeira palavra é amor. Nunca duvidem que há alguém que os quer bem. Porque a fuga das drogas é, muitas vezes, a fuga do não sentir-se amado. Sempre haverá alguém que te queira bem, e esse Alguém não te pede nada em troca para querer o teu bem, porque esse é o amor de Jesus. Jesus nos amou sem nos pedir nada em troca, e isso é o mais importante. Porque, muitas vezes, o nosso amor é assim: nós amamos porque queremos que os outros também nos amem, queremos alguma coisa em troca. Jesus, ao contrário, nos amou sem pedir nada em troca, e é no amor de Jesus que encontramos a gratuidade do amor. Jesus te ama porque você é você, sem nenhum outro motivo. Esse amor que Ele tem por nós é tão grande, que faz com que nós também queiramos amá-Lo.

Eu quero contar para vocês uma história muito bonita que aconteceu com São Pedro. Vocês sabem que São Pedro traiu Jesus. Não uma só vez, mas três vezes. Depois da ressurreição, Jesus se encontra com Pedro. E a palavra que Jesus diz a Pedro não é “porque você me traiu?”, porque… se fosse eu, teria perguntado isso. Porque, quando alguém do nosso ciclo apronta alguma com a gente, a primeira coisa que perguntamos é: “O que aconteceu? Porque você fez isso?”. Jesus não. Jesus diz a Pedro: “tu me amas?” e Pedro lhe responde: “Senhor, eu te quero bem”. Pedro não diz a Jesus “Eu te amo”. Então, Jesus acha que Pedro não entendeu a pergunta, então, pela segunda vez, diz: “Pedro, tu me amas?” e Pedro, pela segunda vez, diz “eu te quero bem”. E ai, Jesus, pela terceira vez, diz a Pedro: “Pedro, tu me queres bem?”, não diz mais “tu me amas”, ele diz “tu me queres bem?”. Vocês sabem a diferença entre amar e querer bem? Porque amar quer dizer “eu te dou toda a minha vida” e “querer bem” significa que “eu te dou uma parte da minha vida”. Quando você encontrar uma moça que te agrade, e se apaixonar por ela, você disser: “tu me amas?”, se ela te responder “eu te quero bem”, você compreende imediatamente que não dá para continuar o relacionamento, porque amar é uma coisa e querer bem é outra. Após 30 anos deste encontro de Jesus com Pedro, Pedro está em Roma, e lá em Roma ele foi crucificado, não como Jesus, mas de cabeça para baixo e, naquele momento, Pedro soube dizer a Jesus: “Agora, eu te amo”. O primeiro Papa soube dizer “eu te amo” para Jesus após 30 anos, e Jesus soube esperar. Quando Pedro foi capaz de dizer para Jesus “eu te amo”, Jesus aceitou o seu amor. E Jesus faz assim com cada um de nós. Ele diz a cada um de nós: “tu me amas?” e nós respondemos a cada dia: “Senhor, eu te quero bem”, e Jesus tem paciência comigo, e Jesus é capaz de esperar 30 anos para que, algum dia, eu diga a ele: “Jesus, eu te amo”. Não importam, diante de Jesus, os meus erros, os meus pecados. Para Jesus, importa que eu lhe diga todos os dias, apesar dos meus limites, dos meus pecados, das minhas fragilidades, eu lhe diga todos os dias “eu te quero bem”, e isso somos chamados a fazer cada um de nós, eu primeiro. Isso que estou falando chama uma segunda palavra: a Esperança. Eu disse no início: nunca esqueçam que sempre haverá alguém que te ama, que vos quer bem. Nunca duvidem que dentro de vocês há a alegria da Esperança. Sozinhos nós nunca conseguiremos, mas com a ajuda de Deus e a presença de Deus em nós, poderemos fazer tudo. Então, não deixem que nada roube de vocês a esperança. Nem mesmo a droga pode roubar de vocês a esperança. Porque a esperança habita dentro, no mais profundo de nós. E essa esperança é a esperança de ser felizes”.

Em seguida, alguns residentes fizeram algumas perguntas a Dom Rino e manifestaram o desejo de terem seus terços abençoados pelo Bispo. Dom Fisichella prometeu falar deles ao Papa Francisco e enviar rosários abençoados pelo Santo Padre a cada um. Por fim, Dom Fisichella tirou fotos com os residentes e ainda jogou tênis de mesa com um deles.

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *