Shalom

Dom Vasconcelos preside celebração em comemoração aos 20 anos do Shalom em Sobral

A Comunidade Católica Shalom em Sobral está em festa. O tríduo da gratidão nos dias 17 a 19 de agosto celebrou os 20 anos da presença da Comunidade na Diocese de Sobral. No sábado, 17, o Projeto Artes apresentou o espetáculo Raízes, que conta a história da missão Shalom em Sobral. No domingo, 18, houve o Encontro Geral da Obra. Encerrando as comemorações, na segunda-feira, 19, o bispo diocesano Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos presidiu Santa Missa no Centro de Evangelização Shalom em Sobral. Concelebraram Pe. Agnaldo Temóteo da Silveira, chanceler da Cúria e pároco da Paróquia do Patrocínio, Pe. Paulo Henrique, consagrado da Comunidade de Vida Shalom, Pe. José Bonifácio, consagrado da Comunidade de Aliança Shalom e pároco da Paróquia de Catunda e Pe. José Erivaldo da Ponte Prado, vigário paroquial de Santa Quitéria.

Durante a homilia, Dom Vasconcelos saudou os sacerdotes presentes e toda a comunidade. “É dia de festa e de ação de graças. Cada vez que aniversariamos, somos chamados a olhar para trás e fazer um balanço da caminhada e temos a tentação de achar que não conquistamos tudo o que queríamos”, reflete. O bispo lembrou ainda que Sobral cresceu muito ao longo de 20 anos e a Comunidade Shalom se expandiu, mas de forma mais discreta. “O reino de Deus é discreto como um grão de mostarda que se transforma em uma árvore frondosa. Temos muito mais a agradecer. Deus é sempre vitorioso. A vitória é garantida. Como é maravilhoso termos o senso do dever cumprido. Deus é o Senhor do tempo”, completa. Ele disse ainda que muitos são os irmãos que deram sua vida pela obra Shalom.

O bispo diocesano ressalta que a liturgia do dia poderia ser intitulada como “o fracasso de Deus”. Na primeira leitura do livro dos Juízes, o povo hebreu que havia sido conduzido por Moisés, o povo da aliança que testemunhou os prodígios de Deus e conquistou a terra com o poder de Deus, prostituiu-se e prostrou-se diante dos falsos deuses, mas Deus não desistiu e enviou juízes que também foram rejeitados por aquele povo. No Evangelho, nós nos deparamos com o jovem rico que quer saber como possuir a vida eterna, mas não a abraça. “Um jovem se aproxima de Jesus com uma pergunta existencial que deveria ser feita por todos: o que devo fazer para alcançar a vida eterna?”. Jesus lembra ao jovem que é preciso observar os mandamentos e, diante da afirmação do jovem de que já os cumpre, “Jesus olhou para ele com amor e disse: vai, vende o que tens e terá um tesouro no céu. Depois vem e segue-me. Vem a decepção depois de um diálogo tão profundo e de um encontro. O jovem preferiu não seguir Jesus, não acreditar na proposta do Senhor e preferiu ficar com suas riquezas. E ele saiu triste porque era muito rico”, explica Dom Vasconcelos.

Dom Vasconcelos seguiu lembrando que Jesus continua a passagem dizendo que é difícil para um rico entrar no reino dos céus. O bispo lembrou ainda São Paulo que afirmava que é nas fraquezas que nos sentimos fortes. “Meus irmãos, é necessário refletirmos que o protagonista da ação evangelizadora não somos nós, mas é o Espírito Santo de Deus e o tempo de Deus é diferente do nosso. Não podemos perder a esperança, precisamos crer no poder de Deus”, completa.

Teresinha Fernandes


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *