Institucional

Em homilia rica e profunda, Dom José Aparecido refletiu sobre a misericórdia de Deus na juventude

dsc_0375

Na Santa Missa deste domingo, 25, celebrada por Dom José Aparecido, Bispo Auxiliar de Brasília, e concelebrada por mais de 10 padres do Brasil e da América Latina, os jovens puderam mais uma vez viver a misericórdia de Deus. Jovens portando as bandeiras de suas cidades realizaram um prelúdio, representando a diversidade cultural vivida neste Congresso de Jovens. As leituras foram feitas em português e espanhol, tornando possível o entendimento de todos que participaram da Celebração.

Na Homilia, Dom Aparecido discursou sobre as várias formas de Deus demonstrar sua misericórdia, se deixando muitas vezes se humilhar para salvar Seus filhos. Ele falou sobre a semelhança da glorificação de Maria Santíssima e do salmista de hoje, que engrandeceram suas almas a Deus pela infinita misericórdia depositada neles. Dom Aparecido lembrou aos presentes que quando se entregam ao pecado, o demônio escraviza as almas e as humilha, e Deus é o único capaz de salvar as almas. “Deus nos chama, corre atrás de nós e nos retira da nossa miséria. Ele não tem vergonha de se humilhar para chegar até nós”, proclamou. Deus escolhe pessoas pecadoras, miseráveis, necessitadas do amor Dele para mostrar que Sua misericórdia é sem fim. O bispo lembrou a todos que Jesus não escolheu para apóstolos pessoas purificadas e santas, mas sim homens comuns e pecadores. “Jesus escolheu apóstolos com os mesmos defeitos de fábrica que nós, mas Ele nos quer mesmo assim”.

Mesmo quando as pessoas se afastam e se deixam levar pelas coisas do mundo, Deus não se cansa de amá-los porque quer ver seus filhos felizes. “Um dia, lá no Gênesis, o homem decidiu que não precisava mais de Deus. Neste momento, perdemos o vínculo com o Senhor. Deus derrama sobre nós seus dons em profusão, e o homem sempre procura outras coisas”, acrescentou o bispo.

Fundamentado no Evangelho de hoje, Dom José Aparecido refletiu sobre o homem pensar na vida eterna, contemplando a face de Deus, e não somente os benefícios alcançados neste mundo. “Vocês precisam ouvir a voz de Deus nos vivos, e não nos mortos. Acolhamos a Palavra de Deus, a palavra da Igreja, a palavra dos pregadores para melhor viver nossa fé em nossa juventude. A juventude na idade passa com o tempo. A juventude no Amor cresce à medida que vivemos a vida em Cristo”. O celebrante lembrou aos jovens que as obras de misericórdia enchem os corações com o amor de Deus, e que existe diferença entre praticar a filantropia desinteressada e viver a misericórdia. “A alegria de fazer obras de misericórdia é permanente e duradoura. O amor de Deus deve transbordar nosso coração e esse transbordar deve atingir o irmão nas obras de misericórdia. A filantropia desinteressada, ajudar ao próximo sem ao menos saber sobre a vida dele, não pode ser comparada às obras de misericórdia”.

Ao final da missa, Dom Aparecido fez um apelo aos jovens que se sentem chamados à vocação sacerdotal para ouvir a voz de Deus e atender ao seu pedido. E lembrou as jovens moças que “Jesus é um ótimo marido!”. “Se somos fiéis, somos muito felizes. Se vivemos uma vida santa, somos felizes para sempre”, concluiu.

Carolina Lima


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *