Institucional

Em prol do Acamps, jovens de São Paulo se reúnem em vigília

No último sábado (14), as missões do regional de São Paulo se reuniram em vigília para interceder pelo Acamp’s, acampamento de jovens que acontecerá no próximo final de semana em Arujá. O encontro, que iniciou às 22h do sábado e terminou por volta das 06h do dia seguinte, aconteceu no Centro de Evangelização da missão de Santo Amaro, localizado na Zona Sul de São Paulo.

“Toda vez que estamos juntos como Comunidade, principalmente como PJJ (Projeto Juventude para Jesus), é uma forma de ter uma experiência de efusão do Carisma; carisma esse que tem como primazia os jovens”, analisou Andreza Marques. “Me senti inserida e unificada, porque nessa vigília regional havia um só desejo, uma só felicidade, uma só certeza: nascemos para evangelizar.”

Para Thiago Pereira, o encontro entre as missões possibilita “uma união maior, e só mostra o quanto somos parecidos mesmo sendo de missões diferentes”.

Antes de chegarem ao local onde aconteceria o encontro geral, alguns dos jovens se encontraram na estação Pinheiros da CPTM e ao longo do caminho aproveitaram para anunciar o amor de Deus aos passageiros do trem. Entre eles estava Yacheslavy Soares, que participou do Acamp’s de 2016.

“Apesar de estar exausto, valeu a pena”, exclamou. “Não estava aguentando de dor na perna, e ainda assim fui pra vigília e doei o máximo de mim por todos os jovens que estarão no acampamento”, contou.

O primeiro momento do encontro foi a Santa Missa, sucedido por momentos de fraternidade, pregação e adoração. Durante a homília da celebração eucarística, padre Júlio Shinji, membro da Comunidade de Aliança da Missão de Santo Amaro, motivou os jovens no sentido da oferta, do servir alegremente. Já a Responsável Local da Missão de Guarulhos, Mazé Freitas, falou durante a pregação sobre a Radicalidade Evangélica, seu conceito e formas de vivê-la.

“Não tem uma pessoa que tenha tido a experiência com Deus e não tenha o desejo de evangelizar”, enfatizou Mazé.

Na adoração, momento ápice da vigília, foi a hora de entregar ao coração de Deus os jovens que estarão no acampamento. E momento também de escutar o que Ele tinha a falar aos que ali estavam.

“Deus colocava muito forte no meu coração o recomeço que Ele nos dá todos os dias”, contou Antonio Lopes. “Deus foi muito exigente comigo nessa madrugada”, analisou.

Já Jorge Alberto, ao recordar da sua vida e da sua experiência, percebeu que no passado ele também foi um daqueles que terão a experiência no acampamento, mas que foi a mão de Deus que o sustentou e o impulsionou a viver a graça da conversão.

“Quando comecei a interceder pelos jovens o que me vinha era que eles não são muito diferentes de mim e nem de muitos que lá estavam”, refletiu. “A diferença é que eu tive uma experiência e estou aqui, e muitos dos que tiveram não contaram com as mesmas oportunidades e não conseguiram dar um sim específico que mudaria a vida deles”, completou Jorge.

Além desses momentos, a vigília teve como objetivo engajar os jovens que se inscreveram para servir no acampamento. Antes de reunir as equipes, Tiago Sousa, discípulo da Comunidade de Vida e coordenador geral do acampamento, alertou sobre alguns pontos.

“Deus conta com o tudo de vocês, os jovens verão muitas coisas pelas suas mãos. Pelas nossas mãos passarão a vida convertida daqueles jovens”, enfatizou. “O termômetro do acampamento estarão nos servos, se os servos derem tudo, o acampamento será tudo, por isso em tudo vivamos a obediência e a submissão à ordem de Deus e a dos irmãos”, concluiu.

Ao final da vigília, os participantes rezaram as laudes e voltaram para as suas casas com o coração inflamado, aguardando ansiosamente o final de semana seguinte.

Na visão de Giovana Barros, a vigília “foi muito jovem, muito acolhedora e muito concreta com o nosso sentido de ser missão/missionário”.

Enquanto que para Humberto Lima “foi uma experiência de renovação, de poder interceder pela primazia da Comunidade, de sair revigorado e cheio de paresia para ir ao encontro de muitos outros jovens para viver uma experiência de amor.”

O encontro, que acontece anualmente, além da oportunidade de unir as missões no período que antecede o Acamp’s, tem como finalidade enviar os servos e renovar neles o desejo de ofertar a vida.

“A vigília é uma grande graça porque a gente pode contemplar o dom que é o serviço dos jovens que se propõe a trabalhar para o acampamento acontecer. Contemplar a unidade por meio de tudo aquilo que envolve as missões juntas, mas por meio da Evangelização também”, explica Monaliza Rocha, consagrada da Comunidade de Vida e coordenadora do PJJ da Missão de Perdizes. “É um renovar antes de ir pro Acamps, através da Vigília somos renovados pela graça e enviados por Deus aos jovens que estarão acampamento.”


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *