Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Acho que esse desafio é universal. Compartilho da mesma dificuldade, a cena de entrar no quarto é a mesma… (rsrs). Acredito também que além da aceleração que é intrínseco em nós hoje, há uma grande dificuldade de nos “retirarmos” e nos colocarmos inteiros na oração, voltar o coração, o pensamento, o próprio desejo de estar ali parados, disponíveis para escutar. Algo que me ajuda realmente é a decisão, lembro sempre daquele passagem que diz: “Se o teu olho direito te leva a pecar, arranca-o e lança-o fora de ti; pois te é mais proveitoso perder um dos teus membros do que todo o teu corpo ser lançado no inferno. ” (Mt 5,19) comigo só funciona se arrancar as distrações.