Notícias

Festival Hallelluya supera número de doações de sangue no Hemoce

Antes da última noite de evento, o Halleluya já havia superado o número de doações de sangue, ajudando o Hemoce a manter estoque durante as férias.

Entre os atos mais generosos que o ser humano pode fazer pelo próximo está sem dúvidas doar o seu próprio sangue. Assim como Jesus Cristo derramou seu sangue sagrado para nos salvar, nós temos a oportunidade diária de realizar um ato de amor em nome dos nossos irmãos. Aqui, no Festival Halleluya, os participantes têm a graça de servir a sociedade por meio do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce). Neste ano, o objetivo de ultrapassar a meta de 1.022 doações, resultado de 2018, foi alcançada com sucesso.

“Até o momento, nós estamos com 1.030 bolsas. Batemos a meta, o sentimento agora é de gratidão ao festival, a Comunidade Shalom, aos doadores que se disponibilizaram durante essas cinco noites comparecendo ao nosso estande”, comentou Najila Lima, responsável pelo Hemoce. Najila lembra ainda que o período de férias é uma época de doações escassas e este espaço no Halelluya é de fundamental ajuda para a manutenção do estoque e para chamar a atenção dos jovens para a causa. “A gente quer cada vez mais conquistar (os jovens) para que fiquem conscientes sobre a importância de doar sangue não só pela questão da solidariedade, mas pelo amor ao próximo, pela cidadania e pela responsabilidade social”, comenta.

Pensando nisso, o professor Jalison Vieira (32) resolveu aproveitar o espaço para fazer sua parte. “Eu já queria fazer doação esse ano, mas nunca tinha tempo. Vindo para o Halleluya, eu vi a oportunidade de fazer a doação de sangue hoje. Todo ano, pelo menos uma vez, eu doou sangue”, respondeu o professor e doador de sangue desde os 18 anos de idade. E não para por aí. Jalison reconhece a necessidade de eventos como o Halleluya de acolher doadores reincidentes e novatos. “Acho muito importante e eu acharia bom que todo evento de massa que vivesse em Fortaleza, tivesse o Hemoce atuando. Seria uma oportunidade das pessoas também doarem e quem também nunca doou, venha doar”, comentou.

Por meio da ação de solidariedade, ele teve a oportunidade de ver de perto a diferença na vida do outro. “Eu já ajudei uma amiga minha, um parente dela, e sempre quando precisam de doações, eu faço. Eu acho muito importante ajudar as pessoas que precisam da nossa doação”, disse. Não é só o professor que sabe bem da importância desse ato de amor. O engenheiro civil Cláudio Ponsini (40) participa há cinco anos do Halleluya e sempre que pode, doa sangue. “Eu doou sangue há 10 anos sempre pelo Hemoce. A última doação tinha sido no Renascer e hoje eu vim de novo. Sempre que tem um evento que acompanha o Hemoce, tento fazer minha doação”, falou.

Cláudio relata o atendimento de qualidade e prático por parte da equipe de profissionais no estande. “Em 30 minutos eu realizei a triagem. Fui muito bem atendido e de uma forma rápida”, relembrou. E continuou dizendo: “a comunidade Shalom está de parabéns por estar fazendo essa parceria com o Hemoce em todos os eventos”, concluiu. O Halleluya é mais um espaço para você realizar sua doação. Para continuar com a atitude e beneficiar milhares de vidas, procure as unidades do Hemoce e faça sua parte, pois é dando que se recebe.

Átala Souza


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *