Formação

Frei Patrício: Três níveis de conversão

Estamos perto da Quaresma e temos necessidade de uma conversão que toque a profundidade do nosso ser.

Deus nos chama ao deserto, ao silêncio para que nós escutemos a sua voz de amor, que nos convida à conversão. A Bíblia nos repete que nas muitas palavras não faltará o pecado, e, mesmo nas nossas orações, não devemos pensar que somos escutados à medida que sufocamos Deus com pedidos e súplicas, pois “os defeitos de um homem aparecem no seu falar.”

Vivemos num mundo feito de muitas palavras e de poucas ações que sejam críveis e verdadeiras – já o grande poeta Dante Alighieri dizia que o inferno é pavimentado de bons propósitos. Estamos perto da Quaresma e temos necessidade de uma conversão que toque a profundidade do nosso ser. Em outro momento, falei dos três níveis de conversão, vale a pena relembrá-los

 1. A conversão de nossa mentalidade – saber assumir a Palavra de Deus como projeto de vida que vai orientar todas as nossas ações. O mundo está mudando. Deus não muda, mas a maneira de sentir a presença de Deus na nossa vida muda continuamente, uma palavra que se faz carne na história que nos é dada para viver agora e aqui no nosso trabalho, na comunidade e na igreja. Neste sentido, devemos nos colocar à escuta da palavra da Igreja, do Papa Francisco, que com seu profetismo nos faz aterrissar na nossa vida neste momento particular. A conversão não é um fantasma que deve nos fazer medo, mas sim uma necessidade que deve abrir novos espaços e caminhos diante de nós;

2. A conversão do coração – sabemos que fomos criados por amor, e para amar se pode viver sem tantas coisas inúteis que preenchem a nossa casa, nossos armários e nossa geladeira; não precisamos de dez pares de sapatos nem de quinze camisas, mas precisamos de amor. Sem amor nós mesmos morremos e matamos também os outros. Há um provérbio chinês que de vez em quando medito, que diz “a amizade é um cobertor que repara o frio de três invernos.”

O nosso coração corre o risco de infarto, de falta do sangue, que regue a nossa vida. Falta-nos o sangue da ternura, da bondade, da misericórdia. Muitas vezes o nosso coração, o meu coração fica endurecido e insensível diante dos sofrimentos de tantos irmãos e irmãs;

3. A conversão das ações – Perto da Quaresma, depois das folias ou sem folias ou diversões do carnaval, ou mesmo dos retiros de carnavais, precisamos voltar à realidade da vida concreta, na qual onde somos chamados a agir conforme a Palavra de Deus. Deus nos chama a viver a caridade, o amor que se faz gestos e ações em favor dos últimos dos que vivem à margem da vida. Apenas palavras não servem, servem ações, vida concreta. Aliás, estamos cansados das palavras sobre a paz, a misericórdia e a palavra justiça; queremos sim estas palavras vivas, encarnadas, que nos façam sair do nosso egoísmo e nos lancem nas estradas do mundo com mangas arregaçadas que ajudam a levantar os que estão à beira da estrada caídos e sem coragem.

Quer conhecer uma pessoa? Fique em silêncio

O livro do Eclesiástico pertence àqueles livros chamados sapienciais, quer dizer, poço de sabedoria prática. Às vezes soa até como uma série de provérbios populares que manifestam a sabedoria e experiência dos povos que passa de geração em geração. Muitas vezes eu leio e medito esses livros, especialmente o Eclesiástico e o livro dos Provérbios. Hoje este pequeno texto do Eclesiástico nos oferece um caminho seguro para conhecer quem são as pessoas antes de confiar nelas. Se você quiser conhecer uma pessoa, o seu coração, e daí também as suas ações e sua religião, passe um dia inteiro com a pessoa sem falar, só escutando o que ela diz, como diz e como fala.

Pelas suas palavras, você chega a descobrir a sua religião, a sua política, a sua moral, os seus desejos, e aí poderá confiar ou não nela – como o forno prova o ouro, assim o homem é provado pela sua conversa. No mundo das palavras em que vivemos, é muito importante não parar nas aparências. Os discursos bonitos não convencem, as palavras teológicas perderam o seu valor, os pregadores do Evangelho não são propagandistas e vendedores de produtos, mas testemunhas da verdade, da paz e do amor.

Firmes e inabaláveis no Senhor

Paulo ama a comunidade de Corinto. Mesmo com suas dificuldades e seus pecados, sente que é necessário que os cristãos não se deixem guiar pelos sentimentos passageiros e tampouco pelas ideias volúveis que não dizem nada; a nossa fé não depende das mudanças climáticas e do tempo, nem da tecnologia; a nossa fé é firme sobre um único alicerce: Cristo Jesus.

É nele que vivemos e somos. Paulo convida a cada um de nós a sair dos palavreados e nos empenhar nas obras do Senhor. Quais são as obras do Senhor? A caridade, o amor, a misericórdia e, especialmente, crer na ressurreição de Jesus. Ele veio para trazer a salvação
integral da pessoa. Não somente do corpo e nem somente da alma, mas do homem todo. O cristão hoje pode gritar contra a morte “ó morte onde está a tua vitória?”

A morte foi derrotada para sempre, a força do pecado é a lei, mas a lei do amor nos liberta da escravidão do pecado. Deus nos dá vitória, não pelas nossas obras, mas pela Sua graça, e nós devemos cooperar com a graça do Senhor com o nosso sim total.

Parábolas em uma só

Fico sempre maravilhado com a capacidade de síntese dos evangelistas, especialmente de Lucas que, sem diminuir a força da Palavra de Deus, em poucas palavras nos transmite toda uma mensagem de vida. Leia com atenção este pequeno texto; em poucas linhas Jesus nos fala de seis coisas diferentes e ao mesmo tempo todas coligadas uma a outra.

1. Um cego não pode conduzir o outro cego;

2. O servo não é maior que o seu Senhor;

3. Antes de tirar o cisco do olho do seu irmão, tira a trave que você tem no seu olho;

4. Não existe árvore boa que dê frutos ruins;

5. O homem bom tira do seu baú coisas boas e o homem ruim, coisas ruins;

6. A boca fala do que o coração está cheio.

Tudo isso para provar que não é possível ser uma pessoa boa só com palavras. As palavras sem ações são árvores cheias de folhas e sem frutos, e nós somos árvores só com folhas ou com frutos?


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *