Formação

A Imaculada: sinal de uma humanidade plena

Com as vésperas de hoje, a Igreja começa a celebrar a Solenidade da Imaculada Conceição da Virgem Maria.

Cremos como verdade revelada por Deus que Nossa Senhora, desde o primeiro momento de sua concepção no ventre materno, foi preservada de toda mancha do pecado original graças aos méritos do Cristo Jesus, Salvador de toda a humanidade.

Certamente falar em pecado original no mundo atual pode parecer tolice – mesmo para muitos, na Igreja… Mas não é, desde que se compreenda o que realmente os cristãos afirmam com esta realidade.

A experiência que fazemos é a de sermos quebrados, feridos interiormente, membros de uma humanidade também ferida e quebrada. É a esta realidade que chamamos pecado original: esta situação de contradição e quebradura, que nos leva a atos de rebelião contra Deus e de egoísmo no confronto dos irmãos.
Vão longe os dias dos iluministas do século XVIII, que acreditavam ingenuamente que o homem era por si mesmo um poço de virtudes e de agir racional, desde que fosse educado para tal. Não, não somos assim!
Somos radicalmente bons, criados à imagem de Deus, mas essa bondade é prejudicada e ferida pelo desaprumo de uma humanidade que desde o princípio tem a tendência de fugir do prumo – o prumo é Deus!
Ora, desse atoleiro, dessa incoerência, dessa contradição visceral o homem não se salva sozinho; ele precisa de um Salvador – e tal Salvador é o Cristo nosso Deus, aquele que, nascendo de Maria, de antemão a preservou, pelo sangue de Sua cruz, dessa solidariedade no pecado.
Assim, a Virgem torna-se para nós doce aurora de uma humanidade nova, redimida, reconciliada com o Senhor e consigo mesma.
Nossa Senhora é primeira testemunha da força potente da graça de Cristo, que vence o pecado. Em certo sentido, ela é o primeiro milagre de Cristo, sinal da salvação e da vida que são destino da humanidade!
Em Maria podemos ver que a abertura do homem para Cristo não o humilha nem aliena, mas o restaura, reintegra, e fá-lo capaz de corresponder à altíssima dignidade com a qual Deus o criou e à altíssima vocação com a qual o dotou: ser parceiro de Deus num diálogo que perdura toda esta vida e chega à plenitude feliz na Eternidade.

Que a Festa da Imaculada reacenda em nós esta certeza: apesar de tantas contradições e desaprumos do mundo atual, apesar de a humanidade parecer tão perdida e confusa em seus contra valores, somos amados por Deus, fomos criados bons e chamados a acolher a redenção que Cristo nos traz.
Que a Imaculada nos ajude a compreender o quanto somos preciosos e o quanto, abertos à graça, podemos crescer em liberdade, dignidade e vida plena!


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Somente Jesus, nasceu sem m[ácula, sem mancha de pecado,perfeito, glorioso e Santo.

    Maria nunca foi sem pecado.Maria, uma santa mulher, foi escolhida e foi serva.