Foto: Unsplash
Formação

Lidando com a frustração

“A adversidade é um mina de ouro da qual se podem tirar as mais altas virtudes e méritos inesgotáveis”.

Constantemente, deparamo-nos com situações ou pessoas que nos decepcionam e frustram nossos planos e sonhos. Podam nossas expectativas diante de determinada situação que projetamos para nossa vida e isso nos deixa frustrados, desanimados ou até mesmo considerando que não vale mais a pena lutar por nada. Calma! Você não é o único, não está sozinho nessa e existe esperança.

Pode-se definir frustração como uma sensação de incapacidade diante de uma determinada situação interna ou externa na qual o indivíduo projetou suas motivações e expectativas em alguma circunstância, objeto ou projetos e foi interrompido, gerando em seu estado psíquico um bloqueio por não ter sua idealização realizada. É o choque do ideal com o real que em diversas pessoas gera paralisia de sua vida por não saberem lidar com o que vai contra a sua vontade.

Faz parte do ser humano a vivência da decepção, assim como também faz parte da vida nos depararmos com a frustração em todas as áreas como no trabalho, na afetividade ou até com nós mesmos diante de inúmeras exigências que impomos para nós na busca da vida perfeita, mas não somos perfeitos, o outro não é perfeito e deparar-se com essas imperfeições nos leva a vários tipos de frustrações.

As consequências da frustração pode nos levar a    depressão, agressividade, sentimento de baixo autoestima ou até mesmo a pensamentos suicidas, pois com suas expectativas constantemente frustradas a pessoa passa a generalizar o sentido da vida acreditando que não existe mais sentido para lutar, já que o fim será sempre o mesmo.  Pensamento preocupante e que não pode ser subestimado, mas acompanhado e tratado.

Percebe-se que há várias formas de reagir a frustração. Reage-se com raiva, desânimo, compensações, fuga, mas a única reação que transforma a pessoa e a faz crescer é a resiliência, na qual o indivíduo encontra, mesmo na dor da frustração, um novo olhar, um nova saída, uma nova forma de viver, uma capacidade de se readaptar a situações adversas e isso é transformador.

Santo Inácio já dizia que a adversidade é um mina de ouro da qual se podem tirar as mais altas virtudes e méritos inesgotáveis, ou seja, não fixemos o nosso olhar na dor que sentimos, mas no aprendizado que a dor nos traz, e no quanto podemos nos redescobrir e nos reencontrar.

Faz-se necessário que a pessoa tenha autoconhecimento de seus sonhos e limitações, que busque diversas saídas, novas soluções caso algo não saia como esperado e que não se cobre tanto.

Exercite a misericórdia não só com o seu próximo, mas também consigo, buscando compreender que a vida não é composta só por minhas expectativas, mas também pelas expectativas do outro, que muitas vezes elas irão se chocar, serem contrárias e é nesse momento que se deve olhar para si, para o outro, para a situação posta e encontrar novas expectativas, novos sonhos, novos planos.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *