Notícias

Missionário da Comunidade Shalom partilha experiência de evangelização em terras indígenas

Não contamos o número de pessoas, mas acreditamos que mais 300 estavam ali prestigiando e se alegrando na presença de Deus, foi um beijo de Deus na nossa alma pra fecharmos com chave de ouro esse primeiro contato com os Tarënos.

Confira a seguir o relato de Paulo dos Santos de Araújo, postulante da Comunidade Católica Shalom, que a convite dos Franciscanos na Providência de Deus teve a oportunidade de partir em missão e evangelizar em terras indígenas no mês de outubro, mês missionário.

“Depois disso, designou o Senhor ainda setenta e dois outros discípulos e mandou-os, dois a dois, adiante de si, por todas as cidades e lugares para onde ele tinha de ir” (Lucas 10, 1).

E assim, nesse envio missionário em que a Igreja é conduzida desde o início de sua criação, Wederlan Duarte e eu, a convite dos Franciscanos na Providência de Deus,  partimos no dia 8 de outubro para as terras indígenas do Parque do Tumucumaque para juntos com eles testemunhar e anunciar Cristo Ressuscitado, Cristo Nossa Paz. Uma missão única e indescritível, onde fomos provando da providência de Deus desde antes de nossa partida.

Inúmeros irmãos e amigos nos procuraram para fazer algum tipo de doações e dizer que estavam rezando e iriam interceder para que tudo concorresse como Deus quisera. E, de fato, assim foi. Os cuidados de Deus e a Graça foram o que nos sustentou lá. A alegria, a ousadia, o entusiasmo e esperança (frutos próprios do Espírito Santo) estavam em nossos corações e em nossos lábios todos os dias, e isso foi o atrativo para que os Tarënos se aproximassem e desejassem também aquilo que tínhamos e assim nos inserir na cultura e no meio deles. 

Aulas de bateria, 5 novas músicas traduzidas para o dialeto deles, visitas e a evangelização deram um novo ânimo à comunidade. O desejo de um novo recomeçar surgiu em todos, tanto os freis quanto os indígenas, testemunharam o quanto precisavam fazer esse processo de retornar e recomeçar, e assim era visível o número de fiéis que voltaram a frequentar a missa aos domingos. As tardes de louvor e a escuta da Palavra no Exército brasileiro só enriqueceram nossa missão e nos fizeram ver o apelo do homem para encontrar a Deus como diz Santo Agostinho: ‘Todo homem tem sede de Deus’, e Deus tem pressa em alcançar a todos. 

Deus foi tão fiel que nos inspirou em fazermos um Luau onde os Tarënos gostaram tanto que eles mesmo deram o nome Nunnë – Ewaraimato = Festa da Lua, e que Luau meus irmãos. Professor Otávio e eu estávamos colocando óleo nas tochas e os Tarënos começaram chegar com suas tangas e camixás (roupas próprias de festa), foram se organizando para fazer a abertura do Luau com a dança típica deles.

Não contamos o número de pessoas, mas acreditamos que mais 300 estavam ali prestigiando e se alegrando na presença de Deus, foi um beijo de Deus na nossa alma pra fecharmos com chave de ouro esse primeiro contato com aquele povo. 

Confesso que essa missão foi um divisor de águas para mim. E volto da missão com o coração cheio de gratidão a Deus por ter se utilizado das nossas misérias para fazer obras grandiosas na vida daquele povo de Tyriós, e, mais ainda, o desejo de dar cada dia mais e mais essa Paz que tem um Rosto, um Nome. Cristo Nossa Paz!

Napofa Paho! (Obrigado Deus Pai)

Paulo dos Santos de Araújo
Postulante da Comunidade Católica Shalom


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *