Formação

O Ministério de Música

clave-de-sol A música é um grande ministério capaz de realizar a união entre o sonho e a realidade, a razão e a emoção. É capaz de tocar as áreas mais profundas do coração do homem, enfim, ela é certamente, obra das mãos de alguém cheio de amor que pensa nos mínimos detalhes acerca dos alvos do seu amor, o homem.

O ministério de música tem a responsabilidade de resgatar a música de todas as distorções e do mau uso que fazem dela. O papel do ministro de música é de levar as pessoas a abrirem o coração ao louvor e a oração por meio da melodia e dos cânticos. Ministrar música é, sobretudo, ministrar o louvor ao Senhor. E como este é um ministério de louvor, os seus membros precisam ser cheios da unção de Deus, carregados da mensagem de amor que Deus tem para o homem, da mensagem do Pai para os seus filhos. Além disso, o ministro de música precisam também levar as pessoas a descobrirem o que há no mais recôndito dos seus corações, e fazê-los transbordar com seus corpos e suas vozes, um agradável louvor ao Senhor e uma explosão de verdadeiro e fraterno amor para com os irmãos. É preciso utilizar todos os recursos que a música possui para alegrar o coração de Deus e dos homens. Quando bem trabalhada e usada em todas as suas potencialidades, a música transforma o coração do homem, por isso é papel do ministro de música, descobrir uma forma de extrair dela o máximo de sua beleza e riqueza, a fim de encontrar e converter aqueles que, até então, só tinham ouvido algo vazio, sem mensagem de vida eterna.

A música, dentro da nova evangelização, é um meio eficaz para levar o amor de Deus aos corações sofridos, desanimados, cansados, perdidos e resgatá-los para Ele. O ministro de música tem como missão primordial evangelizar e a sua postura a de alguém que está continuamente em sintonia com o criador, pra que a música ministrada por ele, quer seja por meio da sua voz ou pela execução de seu instrumento, cumpra o objetivo de alegrar, de enternecer, deFazer voltar o coração do homem para Deus, para as coisas verdadeiras.

Precisa ser plenamente consciente de que é apenas um pequeno instrumento nas mãos de Deus, de que é um servo de Deus, de que tem um chamado de Deus, de que possui um dom dado por Deus e de que este dom não é seu e sim Daquele que por misericórdia lho deu. E o deu para que o servisse, para que levasse o seu amor aos homens, para que levasse a verdade aos homens e a verdade os liberte. Os homens têm sede de Deus e estão cansados de ouvir música que não acrescentam em nada a eles, pelo contrário, tiram deles, tiram a sua dignidade, a sua pureza, a sua castidade, a vivência do amor verdadeiro, o respeito devido ao outro, que tiram deles a consciência necessária para ser feliz e fazer os outros felizes. Os homens não necessitam de mais uma música bela, mas de músicas cheias da unção de Deus, cheias de testemunho vivo do amor de Deus pelo seu povo. Músicas que façam a diferença, que os ajudem a buscar uma vida nova, que sejam profecias de Deus, que os curem, que os libertem de todo mal, que os ajudem a buscar a verdade pessoal e não a mentira, a fantasia, a ilusão, que os aprisionam e denigrem a sua verdadeira imagem que é a de Jesus Cristo, que sejam capazes de elevar os frascos, de aliviar a dor que muitos carregam em seus corações.

O ministro de música deve ser alguém que carregue em si uma forte experiência com o Senhor, porque possui a grande responsabilidade de ser canal para que a graça de Deus seja derramada em profusão na vida de seus filhos, ser canal da água viva que regará a vida de seus filhos, que dará vida verdadeira e em abundância à vida medíocre, mundana, sofrida de seus filhos.

O ministro de música precisa colocar totalmente à disposição de Deus este dom, precisa colocar nas mãos de Deus a sua voz, o seu instrumento, os seus acordes, porque não é chamado a utilizar a música como passatempo, para fazer um “show”, para aparecer ou ser elogiado, mas para cumprir a vontade de Deus, para servir a Deus, para que Deus seja glorificado e amado, para ajudar a colocar o coração dos homens em sintonia com o de Deus. Quem deve aparecer é Deus e a sua verdade. A sua música deve ser ou deseja que seja uma profecia da própria vida, deve haver uma unidade entre aquilo que ele canta e aquilo que ele vive ou deseja viver. Somente assim será terra boa onde o Espírito Santo poderá produzir os seus frutos.

Existe um aspecto muito importante que não pode ser esquecido pelo ministro de música, que é a maneira como deve apresentar-se. Suas roupas devem ser sóbrias. Roupas coloridas demais, saias curtas, blusas e calças justas não são devidas. Também deve ter cuidado com a forma que canta e dança, para não expressar sensualidade e descaso.

Além de todos estes aspectos existe um que é o mais importante de todos: estar aos pés do Mestre. O ministro de música precisa ser uma pessoa de oração, de adoração, de estudo bíblico, de busca freqüente aos sacramentos da eucaristia e reconciliação, ter amor e devoção a Maria, fazer parte de um grupo de oração ou comunidade.

Peçamos ao Senhor a graça de ser como Davi, cheio da sua unção, capaz de expulsar todo o mal e acalmar os corações aflitos através do ministério de música. Bendito seja Deus para sempre!

 

Form ago 2003


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Olá, também gostei muito do texto e como percebi nos comentários que alguns pontos parecem não ter ficados claros, gostaria de deixar minha contribuição aqui. Sou ministro de música há cerca de 15 anos e experimento a misericórdia de Deus que age abundantemente sobre nossa pobre oferta, seja cantando em pequenos grupos de oração, Missas, Shows e grandes eventos, enfim, em tudo Deus se utiliza de nós como quer.

    Quanto a sermos como Davi, não há razão para ter medo disso, pois com ele aprendemos a louvar a Deus com toda nossa alma, nos momentos de alegria, dor e até nos momentos de queda, sim! Se vermos no salmo 50 o que Davi expressa, veremos que ele reconhece a justiça e misericórdia de Deus como um ato de louvor e confiança. Se aprendermos com ele a voltar ao Senhor quando pecarmos, como ele fez, já será grande a graça de tê-lo buscado imitar. Somos tão fracos quanto ele, e com certeza precisaremos voltar ao Senhor muitas e muitas vezes.

    O lance das roupas e tal, sabemos que há momentos e momentos, há culturas e culturas e uma não é superior a outra, cada uma tem sua beleza específica e deve ser respeitada.
    Com certeza percebemos que a roupa que escolhemos para ministrar a música em um show de evangelização, talvez não seja muito adequada para ministrar a música numa celebração Eucarística por exemplo, onde o que deve prevalecer é a atenção ao mistério que celebramos. Isso não é de maneira alguma deixar de ser jovem, ou deixar de ser autêntico, pelo contrário.

    Como jovem, creio e faço a experiência de que posso ser sóbrio e casto sem deixar em nada de ser eu mesmo.

    Também não penso que o texto desrespeite as outras culturas, pois ele se refere à nossa cultura especificamente, já que está num site brasileiro. Mas, fica aqui a dica para a galera deste portal de um próximo tema: A arte e a enculturação, tenho certeza que ajudará muitos a abrirem a cabeça e aprenderem o que a Igreja diz.

    No mais, se buscarmos ser dóceis ao Espírito Santo, Ele mesmo nos ensinará todas as coisas.

    Ajuda também ler os documentos da Igreja sobre música e liturgia, veremos que tem muita coisa em comum quando fala da sobriedade.

    Valeu!

  2. Irmãos o texto esta totalmente coerente, pois entendo neste caso, que durante a missa ou durante o ministério de música seja evangelizando ou em um grupo de oração, devemos evitar o uso de roupas que possam chamar atenção. Pois assim se um ministro de música for cantar o salmo, se sua roupa for muito colorida, a assembléia notará sua roupa e não prestará atenção ao salmo. Tudo é uma questão de bom senso. No tribunal não podemos entrar com qualquer roupa em sinal de respeito no templo de Deus a mesma coisa. São Paulo nos falou sobre isso, tudo me e permitido mas nem tudo me convém. A paz! Obrigada Shalom amei a formação.

  3. Gostei muito do texto, mas também não entendi a parte das roupas coloridas de mais, sou jovem e gosto de roupas coloridas, poderia explicar o por que dessa sua colocação? agradeço
    Shalom!

  4. Mais uma fake do texto “Roupas coloridas demais” , que absurdo, só preconceito…. obviamente texto não foi feito por um músico…. ou é por alguém com uma cabeça de 90 anos de idade… veja o trabalho na África com pessoas com roupas “coloridas demais” pra entender que isso é puro preconceito.