Notícias

O verdadeiro progresso é interior: a santidade

É preciso correr por algo com clareza, por uma coroa incorruptível. “Porque tudo passa. E só quem não passa é quem se apega ao eterno, que é Deus”, disse o fundador da Comunidade Shalom, Moysés Azevedo.

Onde você quer chegar? Qual progresso você tem buscado? Estamos sempre numa luta por conquistar algo, atingir uma meta. Ou ainda não conseguimos alcançar o objetivo, ou já chegamos aonde, outrora queríamos e, ainda assim, continuamos insatisfeitos.

Nossos alvos vão mudando e aí, como fazem os pugilistas, vamos tentando acertar o ar, quando não há um saco ou uma pessoa para bater. O exemplo foi citado pelo diácono Franco Galdino, durante a primeira palestra do Congresso Nacional do Projeto Mundo Novo, que teve como tema “O verdadeiro progresso é interior”.

Sabemos para onde queremos ir?

Acontece que, muitas vezes, progredimos tanto no nosso exterior, que nos sentimos ludibriados. Percebemos que o dinheiro, por exemplo, nos dá poder, conforto, lazer… e acabamos tirando o foco de tudo o que era bom pelo desejo de querer mais. “E aí acabamos pintando várias casas, de cores diferentes, mas não sabemos a cor que queremos”, disse o diácono Franco. Corremos sempre para ganhar o prêmio, mas qual a nossa direção? “Os atletas se abstêm de tudo; eles para ganharem uma coroa perecível; nós, porém, para ganharmos uma coroa imperecível”. ICor 9, 25.

O verdadeiro progresso é por aquilo que não passa. Como convida em Efésios 4,16: “realiza o seu crescimento para sua própria edificação no amor”. É preciso correr por algo com clareza, por uma coroa incorruptível. “Porque tudo passa. E só quem não passa é quem se apega ao eterno, que é Deus”, disse o fundador da Comunidade Shalom, Moysés Azevedo.

A questão é, muitas vezes, esquecemos esse mundo interior, não fazemos o mínimo esforço para o progresso por dentro. É como se não fosse importante o auto-conhecimento, a vida de virtudes, a vida espiritual. “O materialismo no cega e ensurdece. E nos tornamos insensíveis ao que é de Deus”, disse o diácono Franco. O mundo vai nos dando coisa, e quando temos tudo, bate a angústia, a depressa, permanece o vazio. Isso porque, sem o progresso interior, fazemos de tudo para progredir fora de nós, mas dentro pode está uma confusão.

O verdadeiro progresso: a santidade

Fomos criados para o verdadeiro progresso, que é o interior, a santidade. Aí, como disse Franco, “sabemos a cor da nossa casa, não damos socos no ar, corremos pelo caminho certo. Se existe o progresso interior, tudo muda de cor, porque você começa a construir. E no final da vida, você sabe a cor que Deus sempre quis que a casa fosse”. Papa Francisco disse no documento “Alegrai e Exultai”: “O Senhor pede tudo e, em troca, oferece a vida verdadeira, a felicidade para a qual fomos criados. Quer-nos santos e espera que não nos resignemos com uma vida medíocre, superficial e indecisa”.

Moisés Azevedo completa: “O progresso é verdadeiramente esse, o que eu procuro unir meu coração a Ele, e seguir a Ele, um caminho de oferta e amor sem medidas. Na família, no trabalho, às vezes não é fácil. Mas em Jesus temos a potência de mudar, apoiados na fé e na graça de Deus”.

Testemunhos

“A busca da santidade é fundamental pra qualquer profissão. Isso nos faz ser pequenos, nos diminuirmos, da estatura de Cristo. E assim servir melhor e a sociedade como um todo. O nosso principal papel é social. A busca da santidade também nos leva a ver o homem por trás da pessoa que comete o crime, o homem por trás da pessoa que peca”. Ana Cláudia Gomes de Melo – Juíza

 

“A gente deve pedir sempre ao Espírito Santo que haja na decisão certa, sempre o profissional está sendo guiado. Precisamos ser caridosos. Na área da saúde vemos todos os públicos. Então, precisamos ver com outros olhos o outro. Quando você tem Deus você começa a tratar o outros da forma que Deus gostaria”. Maraysa Gouveia – Enfermeira

Aldeson Matos


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *