Igreja

Objetos étnicos amaldiçoados: atenção com máscaras e amuletos

Padre Gabriele Amorth, uma pergunta que para alguns pode parecer excessiva: certos objetos africanos e orientais, como máscaras ou amuletos, podem “esconder” alguma influência maléfica?

É um tema interessante ao qual não se pode responder de maneira absoluta. O risco, porém, existe e é preciso ter consciência, porque sobre estes objetos pode ter sido realizado um rito de magia. Desejo fazer uma ampla premissa para recordar que a magia – que tem uma origem pagã e da qual a história tem suas raízes bem antes da Revelação, há mais de três mil anos – é o apelo às forças dodemônio para influenciar os acontecimentos humanos em detrimento de alguém, ou para sua vantagem. Quem a pratica, do mago ao seu “cliente”, confia-se ao diabo: por isso é um pecado muito grave que deve ser confessado.

A magia pode ser “imitação”, ou “contagio”. A primeira se baseia na similaridade da forma do objeto sobre o qual se realiza o rito: por exemplo espetar com um prego ou agulha num boneco para atingir a pessoa que o boneco representa. Aqui acontece uma espécie de transferência do objeto para a pessoa. Mas a magia pode ser também de tipo “contagioso”, ou “infecciosa”, ou seja, “por contato”, passado ou presente. Neste caso, o rito acontece sobre partes do corpo da pessoa a serem atingidas – como cabelos, unhas ou dentes – ou até mesmo sobre objetos que pertenceram ou pertencem à pessoa: artigos de vestuário, tais como meias ou lingerie, calças, camisas, cobertores etc, ou até mesmo utensílios da casa, como certos objetos. Estes, se foram amaldiçoados, transferem o seu potencial negativo para a pessoa. O que quero enfatizar, em todo o caso, é que, assim como se levam objetos para os sacerdotes abençoarem, da mesma forma pode-se também amaldiçoar com os magos. É preciso ter atenção.

Ou seja, uma máscara africana, por exemplo, pode esconder um efeito negativo similar?

Pode, não necessariamente tem. É um risco e perigo por parte de cada um o fato de aceitar, ou comprá-la. Eu certamente não a colocaria nas minhas coisas. Os efeitos negativos em todo caso, reconheço que existem, podem ser a aversão ao sagrado, a presença insistente de distúrbios locais como cheiros enjoativos ou barulhos fora do normal, a persistência de sintomas físicos negativos sobre as pessoas, ou de situações de trabalho ou afetivas particularmente infelizes.

É oportuno abençoar estes objetos?

Certamente é uma coisa boa abençoar. Todavia a melhor coisa a se fazer, no caso de grave dúvida, é livrar-se do objeto e se possível queimá-lo junto a uma oração de exorcismo.

 

Stefano Stimamiglio

Fonte: Aleteia


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Então, é possível que a simples presença de um determinado objeto amaldiçoado provoque barulhos fora do normal no ambiente no qual ele está inserido?
    Nossa! Eu não sabia.
    Por isso admiro este site, que sempre contribui para nosso crescimento.
    Shalom!

  2. Há um tempo atrad adicionei um jogo de sinuca entitulado “sinuca by gazeus” e vivia jogando on line.mas senti uma força negativa muito forte e senti que minha caminhada espiritual enfraqueceu.como agir pra tirar meu nome deste jogo

    1. Olá, Maria Lucília! Corte todo vínculo que você ainda possa ter com esse jogo (senha, login, etc). E procure o mais rápido possível o sacramento da Reconciliação (confissão).

  3. Clamo, AS CHAGAS ABERTAS, O CORAÇÃO FERIDO E O PRECIOSÍSSIMO SANGUE DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO SOBRE TODO O MAL. EM NOME DO PAI, DO FILHO E DO ESPIRITO SANTO. AMÉM