Formação

Os três segredos da Mãe da Esperança

O tempo litúrgico do Advento é preparação para a vinda do Senhor. Em particular, dos dias 17 a 24 de dezembro, a figura de Maria é colocada em especial evidência, para que a Igreja possa “considerar o amor inefável com o qual a Virgem Mãe esperava seu Filho”, tomá-lo como modelo e assim preparar-se para ir ao encontro do Salvador que vem (Marialis Cultus, 4).

1. VIDA INTERIOR

Uma mulher grávida vive para seu filho, toda voltada para o outro que já está ali e que está vindo. Não somente a partir do momento da concepção pelo Espírito Santo, mas mesmo antes, a Virgem Maria viveu imersa em Deus, tendo “concebido primeiro no coração do que no ventre” (Santo Agostinho).

Então, nós também podemos, como Maria, conceber Deus dentro de nós, em nosso coração, através da fé. De fato, à mulher que exclama: “Bem-aventurado o ventre que te deu à luz”, Jesus responde: “Bem-aventurados são os que ouvem a palavra de Deus e a põem em prática” (Lc 11, 27-28). Assim, o Senhor não apenas esclarece a razão mais profunda da grandeza e da felicidade de Maria, mas oferece aos seus ouvintes, inclusive a nós, a possibilidade de conceber Cristo em nosso coração e cultivar nossa vida interior.

2. DESEJO ARDENTE

Do cultivo da vida interior, nasce o desejo, que é “o mais íntimo recesso do coração. Quanto mais o nosso desejo dilata nossos corações, melhor poderemos acolher a Deus” (Santo Agostinho).

Maria viveu em íntimo contato com as Sagradas Escrituras e recolheu em si mesma a expectativa de todo o povo de Israel, em uma aspiração mais ardente e em total disponibilidade para a recepção dAquele que todos os profetas e reis desejavam (cfr. Lc 10, 24). Nela, “Filha de Sião por excelência”, o próprio Senhor vem habitar, nela e através dela ocorre a vinda do Rei (cfr. Zc 9, 9).

3. LEVAR ESPERANÇA

Nós sabemos bem, e a liturgia do Advento nos recorda que, assim que descobriu a gravidez de Isabel, Maria se apressou em servi-la. A visita de Maria à sua parente, no entanto, não significa uma simples ajuda material. Isabel reconhece nela a “Mãe do Senhor” e se torna cheia do Espírito Santo. A Virgem Maria carrega em seu ventre “a esperança de Israel e a expectativa do mundo”, e se torna “a imagem da futura Igreja que, em seu ventre, leva a esperança do mundo através das montanhas da história” (Spe Salvi, 50).

Por outro lado, nessa visita, a própria Virgem Maria vem confirmada na sua fé, através das palavras inspiradas de Isabel: “Bem-aventurada aquela que acreditou no cumprimento das palavras do Senhor” (Lc 1,45). De fato, quando levamos esperança aos outros, quando levamos Jesus aos outros, através do nosso olhar, do nosso sorriso, das nossas palavras, da nossa ajuda, nós mesmos somos edificados e crescemos na fé.

Olhemos, portanto, para a Estrela da Esperança, para alcançar Jesus! Não desviemos nosso olhar de seu esplendor e atingiremos a meta.

Elica Melo


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *