Papa e os estudantes
Igreja

Papa aos estudantes: livrem-se do vício de estar no celular

Em seu discurso aos numerosos estudantes, acompanhados por seus docentes e familiares, o Papa disse que a comunidade escolar Visconti busca unir, com a instrução, a formação global do cidadão e do cristão.

O Santo Padre encontrou, na manhã do último sábado (13/4), na Sala Paulo VI, no Vaticano, cerca de 5 mil estudantes do Instituto “Visconti” de Roma, por ocasião do Jubileu Aloisiano, ou seja, os 450 anos do nascimento de São Luís Gonzaga, protetor da Juventude.

O Instituto Visconti é o Liceu Clássico mais antigo de Roma, fundado em 1871, na sede do Colégio Romano, por Santo Inácio de Loyola, um ano após a fundação da Companhia de Jesus (1550). O Colégio foi dedicado a Ênio Quirino Visconti, ilustre arqueólogo romano.

São Luís Gonzaga, padroeiro da Juventude

A seguir, o Papa disse que, no mesmo edifício do Colégio Visconti, encontra-se a monumental Igreja de Santo Inácio, em cujo interior se encontram os restos mortais de São Luís Gonzaga, sobre o qual celebramos o Ano Jubilar pelos seus 450 anos de nascimento. Ele frequentou este mesmo ambiente escolar de vocês. Sobre a vida de São Luís Gonzaga, padroeiro da Juventude, o Papa extraiu alguns aspectos de muita atualidade, como suas importantes escolhas de vida, sem se deixar levar pelo carreirismo e pelo “deus dinheiro”:

Há tanta necessidade de jovens, que saibam agir desta maneira, colocando o bem comum acima dos interesses pessoais! Por isso, é preciso cuidar da própria interioridade, através do estudo, da pesquisa, do diálogo educativo, da oração e da escuta da própria consciência. Tudo isso pressupõe a capacidade de criar espaços de silêncio”.

Livrem-se do vício de estar no celular

Neste sentido, Francisco encorajou os jovens “a não terem medo do silêncio e de suas consequências, de estar sozinhos, de escrever o próprio diário. Livrem-se do vício de estar no celular! Somente no silêncio interior pode-se ouvir a voz da consciência e distinguir as vozes do egoísmo e do hedonismo”.

Outro aspecto da vida de São Luís Gonzaga, disse o Papa, foi a sua capacidade de amar com coração puro e livre. Somente aqueles que amam podem conhecer a Deus. Na vida afetiva, são essenciais as dimensões da modéstia, da fidelidade, do respeito e da solidariedade com os outros, especialmente com os mais pobres.

O Santo Padre concluiu seu discurso aos estudantes do Instituto Visconti de Roma exortando-os ao voluntariado, sinal de esperança e de generosidade: “Quem não vive para servir não serve para viver”.

Leia também

Descubra o que o celular tem feito com o seu sono

Papa: a felicidade é Cristo, não um aplicativo no celular

Configurar-se a Cristo não é como configurar um celular

5 dicas para fazer um “detox” digital e reduzir a dependência do celular


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *