Igreja

Papa Francisco fala sobre os desafios da liberdade religiosa

A liberdade religiosa e de consciência deve enfrentar duas ideologias opostas, mas igualmente ameaçadoras: o relativismo secularista e o radicalismo religioso.

O Papa Francisco recebeu na manhã desta quarta-feira na antessala da Sala Paulo VI, no Vaticano, antes da Audiência Geral os participantes do anual Encontro Internacional para Legisladores Católicos. Na sua saudação aos presentes o Papa citou o tema da liberdade religiosa e de consciência que esteve ao centro da reflexão deste ano.

Francisco depois recordou a Declaração “Dignitatis humanae” de dezembro de 1965 e o momento histórico, no qual os Padres conciliares estavam preocupados sobretudo com aqueles regimes que, mesmo reconhecendo nas suas Constituições a liberdade de culto religioso, tentavam desviar os cidadãos da profissão da religião e tornar a vida nas comunidades religiosas muito difícil e perigosa.

Situação dos cristãos piorou

Hoje, para além desta situação que infelizmente persiste em alguns países, a situação dos cristãos e de outras minorias religiosas em regiões atravessadas pelo fundamentalismo piorou tragicamente, disse o Papa. A extensão e a intensificação de posições intolerantes, agressivas e violentas provocaram e ainda provocam discriminações e verdadeiras perseguições que nem sempre são adequadamente contrastadas pelas autoridades competentes.

Hoje a liberdade religiosa e de consciência deve enfrentar duas ideologias opostas, mas igualmente ameaçadoras disse Francisco: o relativismo secularista e radicalismo religioso – na realidade, pseudo-religioso. A este respeito o Papa chamou a atenção para o perigo real de combater o extremismo e a intolerância com tanto de extremismo e intolerância, também nas atitudes e palavras.

Ser sal, luz e fermento

Como cristãos, sabemos que nossa vocação e missão é ser sal, luz e fermento na condição histórica específica em que nos encontramos.

O Papa recordou por fim que o político cristão é chamado antes de tudo, como todo batizado, a buscar com humildade e coragem ser testemunha, e também propor com competência projetos de lei coerentes com a visão cristã do homem e da sociedade, buscando sempre a colaboração com todos aqueles que compartilham os mesmos ideais.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *