Igreja

Papa: vigiar nosso coração e fazer exame de consciência

O Papa Francisco celebrou uma Santa Missa, na manhã desta sexta-feira, na capela da Casa Santa Marta, no Vaticano.

Em sua homilia, o Papa partiu do Evangelho do dia, dizendo que o demônio jamais deixa de tentar o homem. Para que o mal não entre em nosso coração, – recordou – há uma prática antiga, mas muito eficaz e conhecida: o exame de consciência. O tentador tem sempre paciência e não deixa em paz a nossa alma, que quer toda para si.

De fato, depois das tentações no deserto, quando Jesus foi atormentado pelo demônio, Lucas afirma que o demônio deixou de tentar Jesus, por certo tempo, mas, depois, durante a vida terrena, voltou a importuná-lo várias vezes, colocando-o à prova e preparando-lhe armadilhas até à Paixão e morte na Cruz: “Se és o Filho de Deus, desça da cruz e volte entre nós, para que possamos acreditar”.

Estas palavras, – disse o Pontífice, – preocupam o nosso coração. Logo, é preciso protegê-lo, porque nele mora o Espírito Santo; protegê-lo para que não entrem espíritos malignos. Devemos fechá-lo com chave, como fazemos com as nossas casas, mas também vigiá-lo como sentinelas, pois, quantas coisas podem entrar nele: maus pensamentos e intenções, ciúme, inveja!

Mas, como estas coisas podem entrar em nosso coração? Perguntou o Papa. Em um coração tão atribulado, o Senhor não pode nos falar e nem ser escutado. E respondeu:

Ter um coração recolhido, um coração no qual sabemos o que está acontecendo, é possível mediante uma prática muito antiga na Igreja, mas boa: o exame de consciência. Quem de nós, à noite, ao término da jornada, se recolhe e se pergunta: o que aconteceu hoje no meu coração? O que passou pelo meu coração? Se não fizermos isto, não sabemos vigiá-lo e nem protegê-lo”.

O exame de consciência é uma graça, – concluiu o Bispo de Roma – porque quem protege o coração, protege o Espírito Santo, que nele habita. Jesus fala claramente que o demônio volta sempre. E, para que ele não entre em nós, devemos estar recolhidos, ou seja, estar diante de si e de Deus, e fazer um sério exame de consciência no fim do dia. Por que o demônio é muito esperto e pode acabar por enganar-nos.

 

Fonte: Rádio Vaticano 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Eis aí os Papa entregando ensinamentos Gnósticos, um ensinamento que permite que o homem revolucione a si mesmo, como Jesus, o Cristo dizia: Aquele que quiser vim após min, NEGUE-SE A SI MESMO, tome sua Cruz e siga-me. O ensinamento de observar a si mesmo e estar em plena recordação de si, isso nos confere ao Despertar da Consciência, para continuamente possamos “fazer exame de consciência”, pois sim, é uma pratica antiga, os antigos gnósticos do cristianismo primitivo já o praticavam e até hoje é uma das principais práticas para toda aquela pessoa que almeja a redenção. E a redenção não se encontra FORA, se encontra DENTRO, pois os demônios que nos atormentam estão dentro de nós e fazem parte de nós até o dia em que os eliminamos completamente dentro de nós. E só eliminamos dentro nós esses inimigos somente através de uma psicologia revolucionária, fruto de nossa própria rebeldia interior e bebendo o sangue do Cordeiro que é imolado por nós, que nos redime, que se sacrifica por nós e somos nós mesmos que o sacrificamos. (quem quiser saber mais dessa simbologia Crística, leia “Mistérios do Áureo Florescer de Samael Aun Weor”)