Unsplash
Formação

Por que sorrir?

Ao receber o sorriso, o outro se sente convidado a aproximar-se, sente-se a vontade para entrar, participar, fazer instaurar a comunhão de vida e bens com quem lhe sorri e até com outros que talvez nunca lhe sorrirão.

Como é belo apreciar um sorriso, pode ser de uma criança, de um jovem ou mesmo de um velhinho, não importa! Sorrir sempre traduz uma beleza, harmonia, paz. O sorriso é algo que atrai, parece até imprimir a certeza de que aquele que esta sorrindo encontrou a fórmula da felicidade.

Sinônimo de plenitude, o sorriso é objeto de estudos de muitos e utilizadíssimo como terapia, visto que uma grande parte das doenças tem causa psicossomática. E não apenas por isso, mas está provado que a tristeza faz cair a imunidade, e dessa forma a pessoa não consegue – ou fica mais difícil – reagir ao mal-estar.

Dentre as terapias existentes, uma das mais conhecidas é a “Terapia do Riso” ou risoterapia, método terapêutico desenvolvido pelo médico americano Hunter Adams, conhecido como “Patch Adams”, cuja técnica caracteriza-se pelo descondicionamento de atitudes e hábitos perniciosos arraigados na personalidade para viver com amor e felicidade estimulando a auto-estima, o amor próprio e o bom humor.

Ao sorrir a pessoa está se automedicando, visto que seu organismo produz uma substância chamada beta endorfinas, que são analgésicas similares as morfinas cem vezes mais. Que por sua vez melhora a circulação, pressão arterial, relaxam os vasos e ainda beneficiara órgãos como o fígado, aparelho digestivo e coração atingidos diretamente por tensões e todo tipo de sentimento negativo, tais como: inveja, irá, etc.

O sorriso pode ainda está ligado à personalidade e ao temperamento de cada indivíduo, revelando sua alegria de viver, disponibilidade ao próximo, sinceridade, acolhimento entre outras coisas. Ao receber o sorriso, o outro se sente convidado a aproximar-se, sente-se a vontade para entrar, participar, fazer instaurar a comunhão de vida e bens com quem lhe sorri e até com outros que talvez nunca lhe sorrirão.

Segundo a prática da Terapia do Riso, sorrir faz parte da qualidade de vida de cada ser humano é uma forma de elevar-se a si mesmo, de manter uma atitude positiva diante de cada circunstância da vida, de amar-se, de valorizar-se, de encontrar motivos superiores onde se quer e se deve viver. Sorrindo se diz ao outro – você é importante e eu te vejo.

Uma prática que pode dar bons resultados é rir de si mesmo, ou seja, ter um senso de humor diante de suas fraquezas e limites, não com sadismo ou vulgaridade mas projetando seus atos o melhor de si que esta acima de qualquer falha, tirando o melhor daquilo que poderia se tornar o pior. Sorrir é descobrir a beleza da vida, é oferecer um mundo melhor a todos.

Breve histórico do riso

Hipócrates o Pai da medicina no século IV a. C. já utilizava animações e brincadeiras na cura de pacientes. Darwin pioneiro no estudo dos movimentos expressivos da comunicação não-verbal, classificou em seu livro “A expressão das emoções nos homens e nos animais (1872)” o sorriso e o riso entre os movimentos expressivos inatos e universais.

Na França, Jeanne Louisie Calmet, falecida em 1997 aos 122 anos, afirmou que o segredo da longevidade é sorrir sempre. Na Índia algumas empresas tem o costume de fazer uma sessão de riso antes de iniciar a jornada de trabalho. O resultado é um aumento considerável na produção, em decorrência do bem estar físico e emocional dos trabalhadores.

Estudos feitos pelo Centro Médico da Universidade de Maryland (EUA), com a presença de especialistas de vários países, mostrou que rir protege contra infartos e doenças coronárias.

Gigliola Martins de Sena

Bibliografia

Revista Cidade Nova, ano XXXIX, n. 4;

A terapia do riso, Editora Pensamento


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *