Shalom

Retiro de semana santa: Qual imagem de Deus nós preferimos?

Vitorioso enquanto vítima, diante da Cruz de Jesus alguns sentimentos são despertados, dentre eles, o sentimento de impotência e o de rejeição. Essa foi a reflexão trazida por Eudes Samperi de Araújo, seminarista Shalom e missionário da comunidade vida, durante o retiro de semana santa 2019 realizado no auditório da OAB/PI pela comunidade Shalom missão Teresina.

A reflexão foi comentada durante pregação no primeiro dia de retiro, realizado na manhã da sexta-feira santa (19). Ao comentar sobre os sentimentos de impotência, Eudes explicou como Jesus se manteve fiel a sua missão mesmo diante de toda dor e sofrimento. “Somos impotentes diante daquilo que nos ameaça, e ás vezes até não entendemos que aquele sentimento é necessário”, diz o missionário.

O sentimento de rejeição está relacionado ao “fracasso”. Pedro negou Jesus, Judas o traiu, e algumas pessoas ainda vivem na rejeição pelo medo do fracasso. “Não pela visão espiritual, mas a quem na cruz era dependurado, era visto como malfeitor, amaldiçoado, um sinal de maldição, e ninguém quer isso, ninguém quer sentir o fracasso”, explica Eudes.

A pregação reforçou o quanto Jesus foi humilhado, e na sua pequenez e fragilidade se mostrou vitorioso. “Eu desejei ardentemente comer essa páscoa com vocês”, é o entendimento que podemos extrair à manifestação da sede de Jesus na cruz. “A linguagem da sede é o olhar de Jesus por nós, com as simples palavra aquele homem do alto da cruz mostrou que não seremos felizes sem ele. E que ele tem sede de nos encontrar”. Reitera.

Ao receber vinagre ao invés de água, ao receber lança no peito, ao ter seu corpo todo despido e ouvir palavra de acusação, Jesus profere “Pai, perdoa, eles não sabe o que fazem”. Alguém que do alto do seu sofrimento e humilhação ainda se preocupa com a gente e esquece de si, entregando sua misericórdia infinita.

Por vezes, o desconhecimento da misericórdia de Deus está escondido através dos pecados, das misérias e das fraquezas, elementos que ofuscam nosso olhar e impede de ouvirmos a voz de Deus como ela é: misericordiosa. “Pobre de quem desconhece esse Deus rico em misericórdia. Mas ele continua a nos buscar. Qual imagem de Deus que nós preferimos”, finaliza Eudes.

Após a pregação acompanhada de oração, aconteceu o intervalo. No retorno, foi realizada a via sacra, onde todas as meditações foram inspiradas nas homilias do papa Francisco sobre o tema do mundanismo, finalizando o primeiro dia de retiro.


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *