Formação

Reze hoje com o chamado de São Mateus

Uma Lectio Divina especial para celebrar o dia do Apóstolo e Evangelista.

Neste dia, iremos estudar a passagem de Mt 9, 9-13. Jesus chama Mateus e depois vai fazer a refeição na casa dele. Isto suscita um desentendimento entre os fariseus e os discípulos de Cristo, que é sanada com um belíssimo ensinamento de Jesus. Leia com bastante atenção a passagem deste dia.

Esclarecer alguns pontos

Nesta primeira leitura, talvez alguns fatos tenham ficado sem muito sentido, por isso vamos esclarecer alguns pontos que o evangelista apresenta em sua narrativa:

Mateus é apresentado como um coletor de impostos (também chamados publicanos), uma função de má reputação por se encontrar a serviço dos dominadores romanos e enriquecerem às custas do trabalho alheio (em muitos casos eram corruptos). Este homens eram também conhecidos por terem uma vida moral não bem firmada, por isso considerados indignos pelos judeus mais religiosos. Porém, ao ser chamado, Mateus parece oferecer uma refeição, o que atrai seus antigos amigos (coletores e gente mal afamada) que experimentam uma oportunidade de estar próximo de um Mestre judeu, visto que todo os outros os desprezavam.

A refeição é considerada para os homens do tempo de Jesus, um momento de especial comunhão, por isso estar à mesa com aqueles pecadores é motivo de grande escândalo para os fariseus (judeus altamente apegados à lei e muito bem conceituados pelo povo). Isto suscita uma discussão entre os discípulos e os fariseus, eles acusam o Mestre de “misturar-se” e, por isso, estar impuro… Jesus, no entanto, condena a atitude dos fariseus e mostra a eles o cerne da Lei: “É misericórdia que eu quero e não o sacrifício”. De nada adianta todo empenho em ser zeloso no trato das tradições se com isso os fariseus anulam o mais importante: a misericórdia!

O comportamento

Faça uma nova leitura do texto bíblico e procure aprofundar o comportamento de cada um dos grupos: fariseus; discípulos; publicanos e pecadores; o de Jesus. Escreva suas observações.

Esta passagem suscita um novo tipo de comportamento por parte dos cristãos, um comportamento livre de preconceitos e aberto ao serviço e aberto ao serviço. No tempo de Jesus era natural a um judeu religioso desprezar os publicanos e pecadores, no entanto Jesus rompe com este comportamento e revela o centro do verdadeiro culto a Deus.

Também em nossa sociedade existem preconceito e pessoas consideradas “impróprias para o convívio”, porém a Palavra chama a atenção para a vivência da misericórdia e, o mais importante, que estes são os mais necessitados das Palavras do Evangelho.

Reze com estas palavras da Bíblia e mergulhe nos seus próprios preconceitos, talvez por ser religioso, seu comportamento esteja em acordo com o dos fariseus (ou próximo ao deles) por isso deseje ser invadido pelo testemunho oferecido por Jesus: “É misericórdia que eu quero e não o sacrifício”. Estas palavras poderão fecundar o seu coração com misericórdia e caridade.

Após sua oração, escreva em seu caderno os pontos principais do seu estudo deste dia.

Leia também

Como fazer a Lectio Divina?

Caravaggio e o chamado de São Mateus


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *