Formação

Vendo-se curado, voltou atrás, glorificando a Deus

gratidaoAntes de iniciar a leitura, peça auxílio ao Espírito Santo, aquele que inspirou os autores sagrados a escreverem o que Deus quis, para entender o que e para que foi escrito. Oremos: “Ó vinde Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis, acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai, Senhor, o vosso Espírito, e tudo será criado e renovareis a face da terra”. Oremos: “Ó Deus que instruístes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo Espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém”.

O objetivo é levá-lo a ler e meditar com a Palavra de Deus através do antigo e comprovado método da Lectio divina, que consiste em quatro passos: leitura, meditação, oração e contemplação.

Tomemos hoje a passagem do Evangelho segundo São Lucas, capítulo 17, versículos de 11 a 19 (Lc 17,11-19), sobre acura dos dez leprosos, e façamos a nossa Lectio deste dia. Leia, devagar e à meia voz, os versículos indicados. O ponto central desse trecho é, sem dúvida, a gratidão do samaritano, o único que volta para agradecer e, pela fé, é salvo (cf. Lc 17,19). Este versículo é o mais importante. Você pode e deve rezar com ele, como o faremos mais adiante, porém há outros pontos sobre os quais podemos meditar e rezar.

Evangelho segundo Lucas

A passagem citada acima é uma das narrativas que encontramos apenas no Evangelho segundo São Lucas. Jesus está na grande caminhada rumo à Cidade Santa para consumar sua missão, cujo início o evangelista coloca no capítulo 9 versículo 51. O encontro com o grupo dos dez leprosos se dá num povoado entre a Galileia e a Samaria, ainda longe de Jerusalém. Não é uma grande cidade. Pode-se pensar que eles viviam sem a menor perspectiva de serem curados.

Eram judeus, mas aceitaram a presença entre eles de um samaritano que padecia da mesma enfermidade. A lepra os igualara. A hanseníase não ataca a todos na mesma intensidade e durante um mesmo período de tempo. Uns deviam sofrer dela há mais tempo do que outros, e num grupo podiam se ajudar, uns cuidando das feridas dos outros.

Ao saberem que Jesus estava passando por ali, foram ao seu encontro pedindo compaixão. “Jesus, Mestre, tem compaixão de nós!” Pediram juntos, pediram por todos. O Senhor os atendeu e os mandou se apresentarem aos sacerdotes. Os dez não ficaram parados e se puseram a caminho. Deram os passos. Obedeceram, pois sabiam que somente os sacerdotes podiam atestar a cura do mal e permitir a reintegração à Comunidade. Mas antes de chegarem lá, eles ficaram purificados. O Evangelho não diz se eles se alegraram com a cura uns dos outros. Diz apenas que um voltou para agradecer a Jesus. A cura lhe proporcionou uma conversão, uma volta para o Senhor.

A doença física da lepra pode ser uma alegoria para a enfermidade que mancha a alma, o pecado. A lepra era visível. O pecado, nem sempre. O samaritano foi curado fisicamente e isso o fez tomar consciência do dom recebido e da sua indignidade. Estava livre para fazer o que quisesse, no entanto, a primeira atitude do samaritano, fruto dessa liberdade, foi voltar para agradecer.

Retornou glorificando a Deus e lançou-se aos pés de Jesus com o rosto por terra. Quem era ele para merecer tão grande dom? Um pecador diante do Santo. Não ousou levantar os olhos. Prostrou-se e reconheceu o seu lugar. A graça o atingiu por completo. O Senhor o pôs de pé, levantou-o e o despediu com a salvação. Os dez foram curados no corpo, mas somente o samaritano recebeu a cura da alma, a salvação. Onde estavam os outros nove?

 Oração

E você, tem voltado para agradecer? Os dons que você tem recebido são motivo de conversão, de volta para o Senhor? Ou você se acha merecedor? Quantas graças recebemos de Deus e quão pouco o louvamos, não é mesmo? Medite sobre isso e reveja suas atitudes. Depois, ore e glorifique a Deus. Se possível, em alta voz como fez o samaritano. E quanto às curas e graças que Deus concede aos seus familiares e amigos, você se alegra e agradece por eles e por elas?

Melhor e muito mais profundo do que a cura física é a cura da alma, a salvação. Você a tem experimentado ao receber o sacramento da Reconciliação? “Há mais alegria no céu por um pecador que se converte do que por noventa e nove justos que não precisam de arrependimento”(Lc 15,7). Se já faz algum tempo que você não se confessa, faça um bom exame de consciência e procure um padre, vá “mostrar-se” ao sacerdote… O Senhor deseja levantá-lo do pecado, pôr você de pé.

Ao concluir sua Lectio, lembre-se de tomar o seu caderno de oração e anotar as graças que o Senhor o(a) fez experimentar.

Inspirai, Senhor, as nossas ações e ajudai-nos a realizá-las, para que em vós comece e termine tudo aquilo que fizermos. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Ó Maria, Mãe de misericórdia e Rainha dos Pecadores, rogai por nós!

Shalom!

 

José Ricardo F. Bezerra
Missionário da Comunidade Católica Shalom

(Artigo originalmente publicado na Revista Shalom Maná)


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *