Shalom

Via Sacra medita a vitória de Cristo sobre o mundanismo

Corações contritos, conduzidos pelos salmos e cânticos orientados pelas Laudes, iniciaram o segundo dia do Retiro de Semana Santa na manhã desta Sexta-feira Santa (19), na missão Shalom de Juazeiro do Norte. Os últimos passos de Jesus rumo ao Calvário, como doce e obediente abaixar-se diante da Cruz por toda a humanidade, foram meditados nas estações da Via Sacra celebrada no Memorial Padre Cícero com a participação do público presente.

A manhã desta Sexta-feira Santa no Retiro foi iniciada com a celebração das Laudes, louvor da Liturgia das horas. Após o momento, foi dado continuidade à pregação, iniciada no dia de ontem, com o tema central do evento: “Eu venci o mundo!” (Jo 16,33). Na ocasião, o padre Almeida Neto, da Comunidade de Vida (Fortaleza), pregador oficial do retiro, conduziu suas palavras ressaltando a importância litúrgica do dia santo, dia do silêncio e da adoração, dia no qual se medita a Via-Sacra a Paixão de Cristo. “Hoje a Igreja está em profundo silêncio. Após a Ceia do Senhor, que celebramos no dia de ontem, adentramos no mistério da Paixão do Senhor celebrando a Via Sacra, via dolorosa de Jesus, meditando tudo que Ele sofreu por amor a nós”, destacou o sacerdote.

Para os jovens, adultos e famílias presentes no encontro, Padre Almeida explicou que na liturgia desta Sexta-feira não há canto, palmas e não se celebra a Eucaristia, dedicando todo o espaço a meditar os últimos passos de Jesus até sua entrega total no alto da Cruz. “Por isso estamos aqui, para nos configurarmos a Jesus, a nos unirmos a Ele em uma decisão de amor. Vamos viver bem esse dia, pois Deus se decide por mim e por você. Nem mesmo o pecado da humanidade ao longo desses dois mil anos de Igreja paralisou Jesus, Ele nos ama acima de tudo e continua a dar sua vida por nossa salvação”, pontuou.

Alegria que brota da Cruz

O sacerdote missionário da Comunidade de Vida explicou que, para o cristão, hoje não é um dia de luto, mas um dia de contemplação do amor de Deus que sacrifica o próprio Filho, como Cordeiro pascal, para a salvação da humanidade. “Em meio à dor do sacrifício de Cristo, no fundo de nossas almas é gerada uma alegria que é diferente da que o mundo nos oferece”, disse.

Refletindo os capítulos 17 e 18 do Evangelho de São João, padre Almeida ressaltou o grande dom de Deus presente na liturgia deste dia. “No alto da Cruz, Jesus nos dá Maria por nossa Mãe. No despojamento de si, Cristo nos presenteia com a maternidade da Virgem Maria”.

Via Sacra

A encenação da Via Sacra é celebrada na Sexta-feira Santa para evocar e repercorrer juntos o caminho de Jesus para o Gólgota – o lugar da crucificação. No Retiro de Semana Santa, este momento foi o ápice da programação vivenciada pelos membros da Comunidade e Obra Shalom, bem como pelos participantes que estiveram pela primeira vez no evento.

A Via Sacra, este ano inspirada nas homilias do Papa Francisco sobre o tema do Mundanismo, foi encenada e meditada pelo Projeto Artes Shalom de Juazeiro do Norte, envolvendo cerca de 35 pessoas, entre produção, música, atuação.  No total, foram 14 momentos, marcando as 14 estações que proporcionaram reviver os momentos mais cruciais da Paixão de Cristo. “Nós enquanto Comunidade Católica Shalom estamos vivendo a formação sobre Mundanismo, orientados pelas homilias do Papa Francisco uma vez que este tema é muito marcado desde o início do seu Pontificado. A Secretaria de Artes, na pessoa do Wilde Fábio, extraiu algumas partes destas homilias e transformou no roteiro deste ano, unindo às estações da Via Sacra”, explica o coordenador do Projeto Artes e discípulo da Comunidade de Aliança, Matheus Mello.

“Em verdade, em verdade vos digo, quem deixa tudo por mim terá cem vezes mais na terra e a Vida Eterna”. Conduzidos por este coro, as encenações envolveram e emocionaram o público presente em percorrer os Mistérios da Paixão do Senhor. “Trazendo o tema do mundanismo, a encenação da Via Sacra esteve muito próximo à nossa realidade atual. No figurino, como exemplo, as pessoas que estavam no coro interpretavam os pobres, mas não pobres de vias materiais, mas a pobreza espiritual, humana”, relata o coordenador do Projeto Artes.

A emoção também ficou por parte do elenco escolhido para representar a Via Sacra. Para o missionário da Comunidade de Vida, Cássio Costa, que viveu o papel de Jesus na encenação, o momento foi de renovação de sua consagração e oferta de vida. “Como missionários, já trazemos em nossas vidas esse mistério de Cruz e Ressurreição por meio de nossa oferta de vida. Viver a Via Sacra, mesmo que não tenha chegado nem perto de vivenciar o que Jesus sofreu, gerou em mim uma experiência de contemplação a cada estação, podendo tocar na minha vida o próprio Cristo. Posso dizer que renovei a minha fé neste encontro à Cruz de Cristo”, ressalta emocionado.

O Retiro de Semana Santa, em Juazeiro do Norte, segue até o próximo domingo (21), no Memorial Padre Cícero, com programação especial unida ao Tríduo Pascal vivenciado na Igreja Católica em todo o mundo.

 

Texto por Ingrid Monteiro

 


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *