Justine Lafferrière, missionária da Comunidade de Vida (Foto: Karen Favacho)
Shalom

Vocação Shalom: Uma graça muito além das nações

A experiência que Justine Lafferrière teve com a Vocação expressa a universalidade do Carisma que nasceu no Brasil, mas que não pertence a uma nação, cultura ou língua específica.

Inglês, francês, italiano, espanhol, alemão e até mesmo árabe e húngaro são alguns dos idiomas que a Comunidade Católica Shalom tem desbravado em vista da evangelização. Justine Lafferrière, discípula da Comunidade de Vida, é fruto e instrumento dessa sabedoria de Deus. Para a missionária, a Vocação tem se mostrado cada vez mais universal. “A gente não pode continuar a evangelizar com legenda, é preciso amar o povo a partir de sua língua mãe”, ressalta.

De naturalidade francesa, Justine conta que conheceu a Comunidade em Massy – distante pouco mais de 20km de Paris. Por meio de um amigo que teve contato com a Vocação durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em 2013, no Rio de Janeiro, a jovem ficou sabendo da existência da Comunidade na cidade onde morava. Contudo, foi em 2015 que a missionária se aproximou mais do Carisma, ajudando na organização e na tradução do Congresso de Jovens Shalom (CJS) na França.

Justine participou da pregação de Moysés Azevedo e fez a experiência da efusão no Espírito Santo no CJS. Depois disso, foi dando passos cada vez mais firmes em relação à Vocação Shalom. O contato com os missionários brasileiros foi favorecendo o aprendizado da língua portuguesa. Além do francês, Justine fala inglês, italiano, português e um pouco de alemão. Na JMJ da Polônia em 2016, ela ficou responsável por acolher os artistas do Festival Halleluya devido à facilidade com os diferentes idiomas.

Muito além das nações

A experiência que Justine teve com a Vocação expressa a universalidade do Carisma que nasceu no Brasil, mas que não pertence a uma nação, cultura ou língua específica. A jovem missionária comenta ainda que é possível se reconhecer Shalom em meio aos diferentes costumes de cada região. “É algo muito além das nações e das culturas”, enfatiza. Tendo estado em missão em diferentes países (França, Itália, Polônia, Panamá e Brasil), ela partilha que o Amor Esponsal é um dos aspectos mais belos de contemplar em cada cultura. Inclusive, foi a leitura do Escrito Amor Esponsal em inglês que mais a marcou durante o processo de descoberta da Vocação.

Experiências internacionais

Na JMJ 2019 realizada no Panamá, Justine fez parte do grupo de apresentadores dos atos centrais do evento, cada um deles era responsável por uma língua. Justine foi a representante da língua francesa. Para ela, que tinha acabado de sair do Discipulado do Eusébio (casa de formação dos missionários da Comunidade de Vida), foi uma oportunidade concreta de assumir o seu chamado, a sua Vocação como Shalom.

Fotos: Arquivo Pessoal


Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade dos autores e não representam a opinião da Comunidade Shalom. É proibido inserir comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem os direitos dos outros. Os editores podem retirar sem aviso prévio os comentários que não cumprirem os critérios estabelecidos neste aviso ou que estejam fora do tema.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *